NA HORA
O jornal de Mato Grosso Facebook twitter youtube

Cuiabá MT, Terça-feira, 16 de Agosto de 2022

POLÍTICA
Terça-feira, 17 de Maio de 2022, 16h:36

PARQUE RICARDO FRANCO

Para Mauro Mendes, Assembleia Legislativa "não faz a coisa certa"

Para o governador, essa polêmica não será resolvida por meio de um decreto legislativo que extingue o parque

KAMILA ARRUDA
Da Reportagem
Diário de Cuiabá
Rio Verde, na fronteira Brasil/Bolívia no Parque Serra Ricardo Franco

O governador Mauro Mendes (União Brasil) "puxou a orelha" dos deputados estaduais quanto ao debate acerca do parque de conservação ambiental Serra Ricardo Franco.

O chefe do Executivo Estadual é a favor de uma nova demarcação, mas acredita que a Assembleia Legislativa "não está seguindo pelo caminho correto". 

Para ele, essa polêmica não será resolvida por meio de um decreto legislativo que extingue o parque.

No seu entendimento, a medida poderá ser derrubada com facilidade na Justiça. 

Leia também:

Assembleia adia discussão sobre Parque Serra Ricardo Franco

“Eu já disse para os deputados que assuntos e matérias ambientais não se resolvem assim, com canetada. Não é um decreto que vai mudar isso. [...] Eu acho que tem que ter, sim, um redimensionamento lá. Agora, a forma de se fazer isso, eu já disse que está errada”, afirmou o governador. 

Desta forma, ele defende que o Legislativo promova um grande debate sobre o tema, com a participação de todos os envolvidos, especialmente dos produtores da região e de representantes do Ministério Público. 

Mauro Mendes acredita que só um consenso poderá evitar problemas no futuro.

“Se quer mudar alguma coisa, e é possível, é necessário. Eu acho que a Assembleia tem até um pouco de razão na vontade daquilo que ela está fazendo, mas no mérito, na forma, não está correto, e se não está correto, não para de pé”, alertou.

Ele afirmou que é favorável à realização de uma nova demarcação, até porque o Governo do Estado não tem condições financeiras de arcar com o pagamento das indenizações.

“Mato Grosso não tem dinheiro para indenizar todos esses parques que criaram por aí. Nós vamos ter que passar um ano sem pagar salário, sem pagar nada, só para pagar indenizações de parques que foram criados a torto à direito, durante algum tempo. Agora, criou, e mexer nisso, infelizmente, não é tão simples”, completou.

Mauro Mendes reforçou que o meio de se resolver isso não é por meio de decreto legislativo.

“Porque ela [Assembleia] faz um decreto, judicializa isso, derruba na Justiça esse decreto e volta tudo à estaca zero. Então, se quiser fazer isso corretamente, tem que seguir os caminhos corretos, tem de chamar o Ministério Público”, completou. 


Comentários







Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site. Clique aqui para denunciar um comentário.




ENQUETE
Cuiabá flerta, cada vez mais, com o rebaixamento no Brasileirão. De quem é a culpa?
Do treinador
Da torcida
Dos cartolas
Dos jogadores
PARCIAL