NA HORA
O jornal de Mato Grosso Facebook twitter youtube

Cuiabá MT, Sexta-feira, 24 de Junho de 2022

POLÍTICA
Domingo, 19 de Junho de 2022, 12h:57

INTEGRAÇÃO EM MT

Com asfaltamento, município do Vale do Araguaia sai do isolamento

Governo pavimenta a Rodovia do Calcário e interliga cidades ao paraíso natural de rara beleza no Araguaia

EDUARDO GOMES
Da Reportagem
Secom-MT
Gesto do governador Mauro Mendes mostra, figuradamente, quanto falta para o fim da obra

Fim do isolamento. Nova era, a partir de agora, para Cocalinho (923 km a Leste de Cuiabá).

É assim que sua interligação com a malha rodoviária nacional é vista nesse município do Vale do Araguaia, com 5.716 habitantes e área de 16.563 km², na divisa com Goiás, no Bolsão Turístico Aruanã, que é considerado o principal roteiro do turismo de pesca, contemplação e esportes aquáticos do Brasil interior.

O Governo do Estado entregou ao tráfego a pavimentação da Rodovia do Calcário (MT-326), que liga a cidade à BR-158, em Água Boa, e no trajeto conclui a construção de uma ponte sobre o rio das Mortes, a maior de Mato Grosso.

Leia também:

Funai e União pagarão R$ 4 mi por danos morais a indígenas em MT

A ligação de Cocalinho com Água Boa tem 165 quilômetros de extensão e cruza a área urbana de Nova Nazaré.

Secom-MT

Cocalinho - distância

O asfalto já é uma realidade no Município de Cocalinho

A MT-326 recebeu o nome de Rodovia do Calcário, pois, em suas margens, há extração desse estratégico insumo agropecuário.

Sua importância não é somente para a interligação das duas cidades à malha rodoviária nacional, mas por encurtar a distância entre municípios mato-grossenses do Vale do Araguaia com Goiânia, Brasília e São Paulo.

Ela também é passagem obrigatória para os moradores de seu eixo de influência em busca de atendimento médico no Hospital Regional Paulo Alemão, em Água Boa, que é referência do Sistema Único de Saúde (SUS) e da prestação de serviços pelo fórum da comarca de Água Boa, que tem jurisdição sobre Cocalinho e Nova Nazaré.

Antes da pavimentação a ligação de Cocalinho com a BR-158 era dificultada no período mais intenso das chuvas; e quando o rio Cristalino que cruza a Rodovia do Calcário, transbordava, o trânsito era desviado por Goiás, via Britânia, Santa Fé, Montes Claros de Goiás e Aragarças, até Barra do Garças.

Além desse gargalo, a região enfrenta o desafio da travessia do Rio das Mortes por balsas operadas por empresas particulares.

Em ambas as margens, se formam grandes filas de veículos, que aumentam o tempo da viagem e interferem no preço do frete das mercadorias.

São comuns acidentes com bitrens carregados, que provocam inclinação naquelas embarcações e os veúculos caem no rio. Quando isso, ocorre a ligação entre as margens fica seriamente comprometida.

A ponte, com 483 metros de extensão sobre o Rio das Mortes, no limite de Nova Nazaré e Cocalinho, está em fase final, com 95% da obra concluída, devendo ser entregue ao tráfego em 60 dias.

Sua construção era uma das maiores cobranças pela população da região.

Em 1998, seu projeto foi incluído ao Programa de Perenização de Travessias, com financiamento pelo banco italiano Intesa Sanpaolo, mas, sem argumentação convincente, a obra foi retirada do programa.

Ao longo de 22 anos, os sucessivos governos estaduais não conseguiram levar adiante o sonho coletivo pelo sepultamento das balsas.

Porém, o governador Mauro Mendes (União Brasil) determinou que a obra fosse construída pela Secretaria de Infraestrutura e Logística (Sinfra), com desembolso de R$ 52 milhões.

Na região, os prefeitos Joao Teodoro (Nova Nazaré), Márcio Aguiar, o Baco (Cocalinho) e Mariano Kolankiewicz (Água Boa), com os demais moradores, contam os dias para sua entrada em operação.

Reprodução

Cocalinho = areia

Vida nas areias do Rio Araguaia, em Cocalinho

Ao inaugurar a pavimentação, Mauro Mendes lembrou que além dos investimentos que seu Governo faz na região, ela será contemplada com a Ferrovia de Integração do Centro-Oeste (Fico), que está em obra no trecho com 383 quilômetros de extensão, entre Mara Rosa (GO) e Água Boa, cruzando os municípios de Cocalinho e Nova Nazaré.

A previsão é de que, nos próximos três anos, o trem apita em Água Boa, o que causará uma grande transformação econômica e social.

Nesse contexto, avaliou o governante, a pavimentação da Rodoviária do Calcário tem peso significativo pela melhoria da logística de transporte regional tanto para a movimentação de cargas do futuro terminal ferroviário água-boense quanto para o fluxo de pessoas e também para aas cargas não destinadas a embarques na Fico.

COCALINHO – Pelo lado mato-grossense, o asfalto chegou.

Resta a Cocalinho aguardar pela pavimentação de 62 quilômetros da rodovia estadual GO-164, para que sua ligação com Goiânia, num trajeto de 405 quilômetros, seja concluída.

A obra do lado goiano foi licitada pelo governo de Ronaldo Caiado, e a limpeza da vegetação nas duas margens está concluída, mas Goiás não revela o prazo para a execução do asfaltamento.

A cidade que acaba de se interligar à malha rodoviária nacional dista 900 quilômetros de Cuiabá via Água Boa, Barra do Garças e Primavera do Leste.

Sua região adota o fuso horário de Brasília e naquele município o rio Araguaia abusa do direito de ser bonito e piscoso.

Mesmo pertencendo ao Bolsão Turístico Aruanã, o fluxo de turistas é modesto em Cocalinho, por falta de infraestrutura hoteleira e, até 2017 pelo duplo isolamento de Cocalinho: faltava ponte sobre o Araguaia na ligação dos dois estados, e não havia pavimentação em Mato Grosso.

Em 29 de julho de 2017, o governador Marconi Perillo (GO) inaugurou a ponte interestadual que une os dois estados.

Essa ponte foi construída por meio de uma parceria público-privada (PPP) do governo de Goiás com o Consórcio Raios do Sol.

Com ela, os goianos descobriram o roteiro turístico de Cocalinho, mas essa movimentação será bem maior quando Goiás concluir sua ligação pavimentada com a cidade mato-grossense.

O turismo na região de Cocalinho é sazonal.

Nas águas baixas, período que se estende de junho a novembro. Esse é o período chamado de Temporada (de Praia).

Nessa época, o volume de águas diminuiu e o Araguaia exibe sua beleza singular.

A mata ciliar do Araguaia em Cocalinho é exuberante.

Pássaros de todos os tamanhos e cores dão um toque especial; o atrevido martim-pescador faz sobrevoos sobre os barcos e se exibe num bailado alucinante ao mergulhar em busca de pequenos peixes.

Capivaras costumam apresentar espetáculo à parte subindo ou descendo o barranco ribeirinho.

Reprodução

Cocalinho - fluvial

Em Cocalinho, o Rio Araguaia é importante rota fluvial para o esporte radical

Botos surgem aqui e ali com seu balé de deixar os bailarinos do Tchaikovsky de queixos caídos.

Cardumes nadam em desespero fugindo de predadores naturais como parte do ciclo da vida na natureza.

A temperatura do período da Temporada é quente e a umidade relativa do ar não é afetada pela adversidade climática do verão amazônico, pois até nisso o rio é generoso e, em sua cumplicidade com o ar, manda lufadas de vento ameno sobre os corpos quase nus em exposição ao sol nas areias.

Nas barracas de praia predomina a culinária goiana com pratos à base de peixe, mas com alternativa ao trivial carregado no pequi, palmito gueroba, milho cozido, galinha caipira.

Para quem prefere lanche rápido, não falta moqueca, isca de lambari, pamonha doce ou salgada, curau e milho assado na brasa. Isso, sem falar na boa talagada da branquinha pura e com rosário, destilada em alambique de capelo.

No rio e em suas margens se faz de tudo, ou quase tudo.

Natação, passeios de barco ou em jet sky, voos em ultraleves de aluguel, pescaria, futebol de praia, safári fotográfico, futevôlei e, claro, namorar, ou alguém é tão louco a ponto de imaginar que a beleza do Araguaia não funciona também como elixir libidinoso?

O Araguaia é ótimo ao longo do dia, e durante a noite, também. Cocalinho promove shows artísticos com bons nomes da música nacional e grupos regionais.

Quando o sol se põe, é o momento do lual, que tem hora pra começar – ao escurecer – e pra terminar – quando a alvorada com sua beleza engole outra beleza, a da lua.

Lual é música cantada ou instrumental, ao pé da fogueira, sob a areia com o rio passando ao lado em murmúrio e o barulho dos peixes pulando n'água e a lua por testemunha silenciosa pra não abafar os acordes dos violões, a harmonia das sanfonas, os tinidos do triângulo, os ritmos dos pandeiros, os sons dos saxofones e as vozes da brasilidade apaixonada.

As belezas do Araguaia em Cocalinho ganharam destaque nacional em 1996 e 1997, na tela da TV Globo, com a novela das oito, O Rei do Gado.

Tomadas externas do folhetim escrito por Benedito Ruy Barbosa foram ambientadas no município, inclusive com a participação de moradores enquanto figurantes nas apresentações dos atores Almir Sater e Sérgio Reis, na pele da dupla sertaneja Pirilampo (Almir) & Saracura.

Porém, à época de O Rei do Gado, a cidade, além da falta de acesso pavimentado não oferecia condições de hospedagem em escala aos turistas e até mesmo sua energia era gerada por conjuntos estacionários.

Mas, com a conclusão da pavimentação da Rodovia do Calcário, estabelece-se uma rota turística mato-grossense para Cocalinho.

O prefeito Baco sentiu a necessidade da criação de uma política de fomento ao trade turístico para despertar interesse de empresários do setor.

Nesse sentido, discutiu com o deputado estadual Dr. Eugênio, domiciliado na vizinha Água Boa, a elaboração de um programa nesse sentido.

"Cocalinho é uma explosão de vida, o cenário ideal para o turismo de contemplação e para quem gosta de aventura", sintetiza Dr. Eugênio, que vê na atividade econômica turística oportunidade para distribuição de riquezas e geração de empregos".

O deputado revela que os pirangueiros faturam quatrocentos reais por dia trabalhado em suporte a pescadores visitantes e antecipa que tem estudos avançados para dotar Cocalinho de um mecanismo para a massificação turística de forma ordenada e ambientalmente correta.


1 COMENTÁRIO:







Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site. Clique aqui para denunciar um comentário.

Maxwell Teixeira  20-06-2022 16:49:14
Um governo precisa olhar para as necessidades do seu povo, da sua região. A pavimentação da MT 326 serve de ilustração de uma necessidade atendida. O ideal seria que isso se tornasse praxe em todos os governos.

Responder

0
0



ENQUETE
Os casos de infecção por Covid voltaram a crescer em Mato Grosso. De quem é a culpa?
Do Poder Público, que "liberou geral" quando a pandemia diminuiu
De parte da população, que desconsiderou a necessidade da vacinação
Da Saúde Pública, que não intensifica campanha de conscientização
Das prefeituras, que decretaram o fim da obrigatoriedade das máscaras
PARCIAL