NA HORA
O jornal de Mato Grosso Facebook twitter youtube

Cuiabá MT, Terça-feira, 16 de Agosto de 2022

POLÍCIA
Sexta-feira, 29 de Julho de 2022, 08h:27

DESVIO DE CARGAS

Polícia Civil prende 13 pessoas e apreende veículos, armas e dinheiro

Ao todo foram cumpridas 88 ordens judiciais, entre mandados de prisão, busca e apreensão e sequestro de bens

Da Redação
PJC
Na Operação Grãos de Areia, a Polícia Civil desarticulou um esquema de desvio de cargas no terminal ferroviário da Rumo, em Rondonópolis

A Operação Grãos de Areia, deflagrada na manhã de quinta-feira (28) pela Polícia Civil de Mato Grosso, que desarticulou uma associação criminosa voltada para furtos e adulteração de cargas na região Sul do Estado, resultou na prisão de 13 pessoas e na apreensão de armas de fogo, munições, computadores, cabeças de gado, joias, dinheiro e 18 veículos.

No total, foram cumpridas 88 ordens judiciais, entre mandados de prisão, busca e apreensão e sequestro de bens.

Leia também:

Empresários e motoristas são presos por desvio de cargas em MT

Durante as buscas domiciliares, foram apreendidos dois tratores, dois semirreboques, duas pás-carregadeiras, cinco camionetes (duas S-10 e quatro Hilux), dois veículos de luxo (uma Ranger Rover e um Chevrolet Camaro), além de um Toyota Corolla, um Fiat Palio, um barco e uma motocicleta 1.000 cilindradas.

Também foram apreendidas duas armas de fogo (uma pistola 9 mm e um revólver calibre 32), mais de 100 munições (84 calibre 9 mm e 21 calibre 32), computadores, notebooks, bloqueadores de sinal, chaves de veículos, joias e mais de R$ 22,6 mil em dinheiro, além de 99 cabeças de gado que estão entre os bens sequestrados.

Dois alvos dos mandados de prisão ainda foram autuados em flagrante pelo crime de posse ilegal de arma de fogo.

INVESTIGAÇÕES - A investigação, conduzida pela Delegacia Especializada de Roubos e Furtos de Rondonópolis (Derf), com apoio da GCCO, apurou a atuação de um grupo envolvido no furto e adulteração de cargas de soja e farelo, na cidade de Rondonópolis (221 km ao Sul de Cuiabá), tendo como vítima o terminal ferroviário de cargas da empresa Rumo - principal polo de infraestrutura logística de Mato Grosso, responsável pelo escoamento de boa parte da safra do Estado.

Conforme o delegado Santiago Rozendo Sanches, da Derf Rondonópolis, o grupo atuava no furto e na adulteração da carga, substituindo grãos originais e em perfeito estado por carga misturada com areia.

“Eles substituiam a carga boa, de cinco a oito toneladas de carga, por uma ruim. O classificador era conivente com a fraude, aprovando a mercadoria adulterada e, assim, eles conseguiam consumar o crime e obter grande quantidade de lucro ilícito”, disse o delegado.

Segundo o delegado titular da Gerência de Combate ao Crime Organizado (GCCO), Vitor Hugo Bruzulato Teixeira, as investigações apontaram que o grupo operava o esquema desde 2020.

“Sendo o Estado considerado maior produtor do país, a atuação do grupo causou um prejuízo milionário para o agronegócio, forte responsável pelo sustento da economia de Mato Grosso, tamanha a importância do setor. O grupo criminoso agia como uma verdadeira máfia, e, quando não conseguiam corromper funcionários, agiam mediante grave ameaça como forma de intimidação e, desta forma, alcançavam a concretização do crime”, observou.

As investigações identificaram, ao todo, 30 pessoas, dentre empresários do ramo de transporte e comércio de grãos, agenciadores, motoristas de caminhão e funcionários da empresa vítima.


Comentários







Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site. Clique aqui para denunciar um comentário.




ENQUETE
Cuiabá flerta, cada vez mais, com o rebaixamento no Brasileirão. De quem é a culpa?
Do treinador
Da torcida
Dos cartolas
Dos jogadores
PARCIAL