Diario de Cuiabá

Sexta-feira, 05 de Agosto de 2022, 07h:49

Cacique do MDB, Bezerra é Mauro Mendes e o partido de muitos

Deputado oficializa apoio ao governador, liberou o palanque e os filiados para o voto ao Senado em Mato Grosso

EDUARDO GOMES
Da Reportagem

Grande partido fragmentado. Essa é a imagem que transmite o MDB de Mato Grosso.

O tamanho é pelos cargos eletivos que ocupa e por seu histórico; e a fragmentação fica por conta do 'fogo amigo', por posicionamentos divergentes sobre apoio ao Governo e Senado, e também pela divisão entre a correligionária Simone Tebet e Jair Bolsonaro (PL).

A legenda bate cabeça com o cacique Carlos Bezerra, aliado ao governador Mauro Mendes (União Brasil), que é pré-candidato à reeleição, e com o prefeito de Cuiabá, Emanuel Pinheiro, fazendo forte oposição ao governante.

E, em meio a tudo isso, a deputada estadual Janaína Riva busca argumentos até o fundo da alma por uma luta familiar em defesa do sogro Wellington Fagundes (PL), que tentará a reeleição ao Senado.

Leia também:

Grupo de esquerda confirma pré-candidatura de 1ª dama ao Governo

Nesse clima, os emedebistas realizaram sua convenção regional em Cuiabá, na tarde de quinta-feira (4), onde tomou duas decisões e manteve um silêncio estratégico.

Bezerra oficializou apoio a Mauro Mendes, liberou o palanque e os filiados para o voto ao Senado, e tratou a disputa presidencial como tabu, sem fazer referência aprofundada a ela. 

Presidente do partido desde tempos imemoriais, Bezerra sempre o levou para onde quis, no longo período em que era conhecido como Mão de Pilão.

Porém, agora, ninguém ouve nem entende ninguém no MDB. 

O presidente municipal do partido, Francisco Faiad, tentou botar panos quentes pelo fato de o MDB não disputar o Governo nem o Senado.

Segundo Faiad, a sigla optou pelo fortalecimento de sua representação na Câmara dos Deputados e na Assembleia Legislativa. 

A chapa para a Câmara tem quatro nomes considerados puxadores de votos: Bezerra, Juarez Costa e Emanuel Pinheiro Neto, que tentam a reeleição, e o suplente Valtenir Pereira.

Com nove candidaturas, a chapa tem ainda a veterinária Juliana Kolankiewicz, primeira-dama da Água Boa.

Para a Assembleia, Janaína Riva, Dr. João e Thiago Silva são candidatos à reeleição, com o suplente Silvano Amaral.

A chapa com 25 nomes tem, dentre outros, o ex-prefeito de Matupá, Valter Miotto; e Juca do Guaraná Filho, presidente da Câmara de Cuiabá. 

MAJORITÁRIAS – Para o Governo, a maioria do MDB apoia Mauro Mendes, mas há forte resistência ao governador por parte de Emanuel Pinheiro Neto e de seu pai, Emanuel Pinheiro, prefeito de Cuiabá.

Os Pinheiro, não somente por razões políticas, mas, sobretudo, por questão familiar, defendem o nome de Márcia Pinheiro (PV) ao Governo.

Márcia é mãe do deputado federal e mulher do prefeito, e seu nome foi oficializado nesta quinta-feira (4), enquanto pré-candidata ao Paiaguás pela federação do PV com PT e PCdoB. 

Ao Senado, o racha é grande. Bezerra, Juarez Costa e Emanuel Pinheiro Neto defendem o nome do deputado federal Neri Geller (PP), enquanto a deputada estadual Janaína Riva veste a camisa do sogro e senador Wellington Fagundes (PL), que tentará a reeleição no palanque de Mauro Mendes. 

Sobre a Presidência, o DIÁRIO ouviu 11 emedebistas que exercem mandatos eletivos ou são pré-candidatos.

Bezerra, Emanuel Pinheiro Neto, o deputado estadual Thiago Silva, o presidente da Câmara de Cuiabá Juca do Guaraná Filho, o ex-prefeito de Matupá e pré-candidato a deputado estadual Valter Miotto e o prefeito Osmar Froner (de Chapada dos Guimarães) defendem Simone Tebet. Juarez Costa, Janaína Riva, a vereadora Rosiane Galvão (de Querência), o vereador Cabo Odenilio (de Feliz Natal) e o prefeito André Bringsken (de Vila Bela da Santíssima Trindade) são bolsonaristas.

Por seis a cinco votos, prevaleceu o voto partidário.     

O PARTIDO EM NÚMEROS -  Partido com militantes históricos, o MDB está presente nos 141 municípios, tem 44.251 filiados e conta com expressiva representação no Congresso Nacional, Assembleia Legislativa, e nas 141 prefeituras e câmaras municipais. 

A bancada federal tem oito deputados e três são do MDB: Carlos Bezerra, Juarez Costa e Emanuel Pinheiro Neto, além do suplente Valtenir Pereira.

No Senado, o partido tem duas segundas suplências: Cândida Farias, de Jayme Campos (União), e José Lacerda, de Carlos Fávaro (PSD).

Na Assembleia, a maior bancada é a do União Brasil, com quatro cadeiras, mas os emedebistas formam a segunda, com três parlamentares: Janaína Riva, Dr. João e Thiago Silva; PSD e PL também têm três deputados, cada.

Nas câmaras municipais, o partido elegeu 181 dos 1.404 vereadores. 

PREFEITURAS – Em 2020, o MDB elegeu 23 prefeitos ficando em segundo lugar, com o Democratas em primeiro com 25.

Recentemente, com a fusão do DEM com o PSL, houve mudança do cenário, e os números foram alterados, em razão da intensa migração partidária em março. 

Mudanças de filiação à parte, o MDB mantém seus prefeitos e administra as duas maiores cidades: Cuiabá, com Emanuel Pinheiro; e Várzea Grande, com Kalil Baracat.

O partido ainda responde por prefeituras de outros importantes municípios: Primavera do Leste, com Léo Bortolin; Vila Bela da Santíssima Trindade, com André Bringsken; Diamantino, com Manoel Loureiro; Chapada dos Guimarães, com Osmar Froner; e Água Boa, com Mariano Kolankiewicz.

O partido também conquistou prefeituras de pequenos municípios: Parassu de Souza Freitas é prefeito de Luciara, com 2.036 habitantes, e José Guedes, de Rondolândia, com 4.069 residentes.

PODER – A ex-deputada federal e ex-deputada estadual Teté Bezerra é secretária de Agricultura Familiar no governo de Mauro Mendes.

Teté é mulher de Bezerra e chegou ao cargo em março, com a desincompatibilização de seu correligionário e suplente de deputado estadual Silvano Amaral. (EG)


Fonte: Diario de Cuiabá

Visite o website: www.diariodecuiaba.com.br