NA HORA
O jornal de Mato Grosso Facebook twitter youtube

Cuiabá MT, Sexta-feira, 24 de Junho de 2022

ILUSTRADO
Quinta-feira, 23 de Junho de 2022, 17h:12

TELEVISÃO

Pai de Juma em "Pantanal", Enrique Diaz já grava novela das seis

Ator vive um bem-humorado sobrevivente da seca no nordeste em "Mar do Sertão"

Da Folhapress - São Paulo
Enrique Diaz na novela Mar do Sertão

Ainda presente nas reverências que Juma Marruá (Alanis Guillen) faz ao pai, Gil, e à mãe, Maria (Juliana Paes), supostamente enterrados ao lado de sua tapera em "Pantanal", a imagem de Enrique Diaz já veste outro figurino em cenário distante do Mato Grosso do Sul, como apresenta a coluna em primeira mão.        

  O ator gravou em Pernambuco e em Alagoas, nas últimas semanas, suas primeiras cenas de "Mar do Sertão", nova novela das seis da TV Globo, de autoria de Mario Teixeira. Sob direção artística de Allan Fiterman, o ator já vive Timbó, um sobrevivente da seca a que o povo da região está condenado há gerações.      

    Apesar de todas as dificuldades, Timbó é sujeito esperto, levando a vida com bom humor, criatividade, e até um pouco de malandragem.        

  Renato Góes, que foi José Leôncio na primeira fase de "Pantanal", também já circula por "Mar do Sertão", rebatizado agora como Tertulinho e destinado a um triângulo amoroso com Sergio Guizé, o Zé Paulino, e Isadora Cruz, a Candonca.        

  O enredo se passa na pequena Canta Pedra, cidade fictícia de um sertão que dizem já ter sido mar no passado. É nesse ambiente que a fábula contemporânea se passa, com direito a coronelismo e à valorização do bem maior: água.        

  José de Abreu vive o coronel Tertúlio, pai de Tertulinho, e Débora Bloch, Deodora, mãe do rapaz. A estreia está prevista para agosto.


Comentários







Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site. Clique aqui para denunciar um comentário.




ENQUETE
Os casos de infecção por Covid voltaram a crescer em Mato Grosso. De quem é a culpa?
Do Poder Público, que "liberou geral" quando a pandemia diminuiu
De parte da população, que desconsiderou a necessidade da vacinação
Da Saúde Pública, que não intensifica campanha de conscientização
Das prefeituras, que decretaram o fim da obrigatoriedade das máscaras
PARCIAL