NA HORA
O jornal de Mato Grosso Facebook twitter youtube

Cuiabá MT, Quarta-feira, 29 de Junho de 2022

ILUSTRADO
Segunda-feira, 16 de Maio de 2022, 20h:04

MILTON NASCIMENTO

Fãs poderão adquirir experiências únicas com ingresso NFT

Camila Tuchlinski
Estadão Conteúdo

Na despedida dos palcos, Milton Nascimento traz uma surpresa e entra no mercado dos NFTs, tokens não fungíveis, ativos digitais que representam objetos do mundo real - como arte, música, vídeo e itens de games - negociados de maneira online. É um item virtual cuja autenticidade é comprovada através de blockchain, a mesma tecnologia usada nas criptomoedas, como Bitcoin e Ethereum.

A arte é originada de um desenho feito à mão pelo próprio cantor ainda menino, a Serra de Três Pontas, na região sul de Minas Gerais.

 

Cada token é único, com uma assinatura digital que garante a autoria e assegura que não existe nenhum outro igual no mundo.

Os fãs que adquirirem o NFT Ticket Pass terão uma série de experiências únicas e poderão destravá-las ao longo da turnê A Última Sessão de Música.

Após o uso do benefício, o token se torna um item colecionável.

E o primeiro show da histórica série de apresentações será na Cidade das Artes, na Barra da Tijuca, no Rio, em 11 de junho, às 21 horas.

Será uma sessão especial, restrita a amigos, artistas e aqueles que adquirirem o NFT Ticket Pass. Não haverá vendas de ingressos normais para este evento. Serão colocados apenas 400 NFTs à disposição.

Os compradores, além de garantir dois passes para a avant-première, ganharão um pôster autografado e numerado da turnê.

As vendas já foram abertas a partir do domingo, 15, pelo site nft.miltonnascimento. com.br, com informações em todas as redes oficiais do cantor. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

 

Comentários







Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site. Clique aqui para denunciar um comentário.




ENQUETE
Os casos de infecção por Covid voltaram a crescer em Mato Grosso. De quem é a culpa?
Do Poder Público, que "liberou geral" quando a pandemia diminuiu
De parte da população, que desconsiderou a necessidade da vacinação
Da Saúde Pública, que não intensifica campanha de conscientização
Das prefeituras, que decretaram o fim da obrigatoriedade das máscaras
PARCIAL