NA HORA
O jornal de Mato Grosso Facebook twitter youtube

Cuiabá MT, Quarta-feira, 29 de Junho de 2022

ECONOMIA
Segunda-feira, 20 de Junho de 2022, 12h:12

MAIS CONTAS PAGAS

Endividamento das famílias cuiabanas tem leve recuo, aponta Fecomércio

Cartão de crédito (78,4%) e os carnês (31,8%) são as principais dívidas. Financiamentos de carro e casa são 8,4% e 4,9%

MARIANNA PERES
Da Reportagem
Reprodução
O principal tipo de dívida das famílias continua sendo o cartão de crédito (77,5%), seguido dos boletos (33,2%)

O percentual de famílias endividadas, em Cuiabá, atingiu 71,9% em maio.

O levantamento realizado pela Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), em parceria com o Instituto de Pesquisa e Análise da Fecomércio (IPF/MT), mostrou recuo de 0,2 ponto percentual sobre o mês anterior, e de 1,5 ponto percentual no comparativo com maio de 2021.

Leia também:

Vendas crescem em Mato Grosso, e saldo é o maior do Centro-Oeste

O diretor de pesquisas do IPF/MT e superintendente da Federação, Igor Cunha, ressaltou a queda no endividamento nos últimos 13 meses.

“O nível de endividamento das famílias teve uma queda de 2,04% de maio de 2021 até o atual momento, o que pode ser considerado um bom indicador para a economia local, pois a população dispõe de mais dinheiro para consumir no comércio local”, disse.

O resultado atual coloca a Capital mato-grossense com índices abaixo da média nacional, que somou 77,6% em maio.

Já com relação à inadimplência das famílias, as que declararam estar com contas em atraso colocou Cuiabá com índices maiores que o resultado nacional, com 29,1% em maio contra 28,7%, também no mesmo período.

Igor Cunha também destacou o recuo da inadimplência no comparativo anual da pesquisa.

“De forma positiva, o número de endividados com contas em atraso saiu de 66.775 pessoas em maio de 2021 para 58.848 pessoas no mesmo período de 2022, demonstrando que 12% das famílias cuiabanas conseguiram quitar suas contas entre maio de 2021 e de 2022”, explicou.

A Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor (Peic) revela que os que ganham mais de 10 salários mínimos ainda são os mais endividados, e os que ganham menos de 10 salários estão encontrando mais dificuldades para pagar as contas.

Os principais tipos de dívidas continuam sendo o cartão de crédito (78,4%) e os carnês (31,8%).

Os financiamentos com carro e casa correspondem a 8,4% e 4,9%, respectivamente.

Segundo análise do IPF/MT, a Capital cuiabana deve seguir em queda no nível de inadimplência, o que pode estar associado ao ganho, por parte das famílias, do saque extraordinário (do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço), oportunizando o pagamento e até a quitação de dívidas com o dinheiro extra, recebido em conta.


Comentários







Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site. Clique aqui para denunciar um comentário.




ENQUETE
Os casos de infecção por Covid voltaram a crescer em Mato Grosso. De quem é a culpa?
Do Poder Público, que "liberou geral" quando a pandemia diminuiu
De parte da população, que desconsiderou a necessidade da vacinação
Da Saúde Pública, que não intensifica campanha de conscientização
Das prefeituras, que decretaram o fim da obrigatoriedade das máscaras
PARCIAL