NA HORA
O jornal de Mato Grosso Facebook twitter youtube

Cuiabá MT, Quarta-feira, 29 de Junho de 2022

ECONOMIA
Quarta-feira, 22 de Junho de 2022, 08h:35

REDUÇÃO NOS PREÇOS

Em junho, alimentos da cesta básica registram novo recuo em Cuiabá

Cesta chegou a custar, em média, R$ 700,02. Na semana anterior, o valor era de R$ 709,28 - queda no valor foi de -1,3%

MARIANNA PERES
Da Reportagem
Agência Brasil
Puxaram a inflação dos produtos, em Cuiabá, na análise anual, a carne, a batata, o tomate, o pão e a açúcar, itens com as maiores variações no período

Os mercados da Capital reduziram os valores de produtos que compõem a cesta básica, na semana passada.

Isso é o que revela o levantamento realizado pelo Instituto de Pesquisa e Análise da Fecomércio Mato Grosso (IPF/MT), referente à terceira semana de junho sobre o valor da cesta básica, que chegou a custar, em média, R$ 700,02.

Na semana anterior, o valor era de R$ 709,28, ou seja, a queda no valor foi de -1,3%.

Leia também:

Endividamento das famílias cuiabanas teve leve recuo, aponta Fecomércio

Na pesquisa, foi observado que 47% dos alimentos apresentaram redução, sendo que o principal produto foi o tomate, que obteve um recuo de -17,17% em relação à semana anterior, quando havia apresentado alta de 12,96%.

Além deste item, a batata também registou queda em seu valor no comparativo com a semana passada, resultando em uma variação semanal de -4,24%, seguido do arroz, com retração de -1,34%.

Segundo análise do IPF/MT, a queda pode estar associada à frente fria em todo o território nacional, dificultando a maturação de alguns produtos.

Além disso, as quedas na batata e no tomate podem estar relacionadas à alta oferta do produto no atacado, diminuindo, assim, seu valor nos mercados.

Já os produtos que demostraram alta, o café em pó, que registrou queda nas primeiras semanas de junho, apresentou alta de 3,40% em relação à semana anterior.

O leite também somou alta semanal, de 3,31%.

O diretor de pesquisas e superintendente da Fecomércio/MT, Igor Cunha, destaca a estabilidade nos preços dos alimentos, percebido nas últimas semanas.

“O cenário econômico mais otimista fornece melhores condições de consumo para as famílias e tranquilidade para realizar suas compras nos supermercados”, concluiu.


Comentários







Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site. Clique aqui para denunciar um comentário.




ENQUETE
Os casos de infecção por Covid voltaram a crescer em Mato Grosso. De quem é a culpa?
Do Poder Público, que "liberou geral" quando a pandemia diminuiu
De parte da população, que desconsiderou a necessidade da vacinação
Da Saúde Pública, que não intensifica campanha de conscientização
Das prefeituras, que decretaram o fim da obrigatoriedade das máscaras
PARCIAL