NA HORA
O jornal de Mato Grosso Facebook twitter youtube

Cuiabá MT, Quarta-feira, 29 de Junho de 2022

CUIABÁ URGENTE
Quinta-feira, 23 de Junho de 2022, 09h:18

DEVOTOS DE BOLSONARO

Políticos minimizam a prisão de ex-chefe do MEC, acusado de corrupção

Da Redação

Agência Brasil

WF e Milton Ribeiro

O ex-ministro Milton Ribeiro e o senador Wellington Fagundes: afinidade em nome do bolsonarismo

Para surpresa de ninguém, alguns dos principais devotos de Jair Bolsonaro (PL), em Mato Grosso, minimizaram a prisão do ex-ministro da Educação, Milton Ribeiro, e de dois pastores bolsonaristas, acusados de montar um "balcão de negócios" no MEC.

O objetivo, na verdade, não é defender o ex-ministro, mas tentar "isolar" o presidente da República de um escândalo que o atinge por todos os lados.

Leia também:

Prisão de ex-ministro é vista como "desastre" para campanha

O senador Wellington Fagundes (PL) reafirmou a sua confiança em Milton Ribeiro.

Disse que conhece o ex-ministro "como uma pessoa extremamente confiável e competente".  

O deputado estadual Gilberto Cattani (PL) disse que "copiaria" Bolsonaro: colocaria "a cara no fogo" por Ribeiro.

O deputado federal Nelson Barbudo (PL) afirmou que a prisão traz desgaste, mas diz que é "um caso isolado" e que não atinge o presidente.

O deputado federal José Medeiros (PL) suspeita que houve "uma prisão eleitoreira", e até insinou que a PF estaria revoltada porque não teve reajuste de salário.

Presidente da Assembleia e neobolsonarista, o deputado Eduardo Botelho (União Brasil) criticou o momento da prisão do ex-ministro da Educação.

Para ele, operações policiais contra autoridades em período eleitoral deveriam ser limitadas a casos muito específicos.


1 COMENTÁRIO:







Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site. Clique aqui para denunciar um comentário.

Benedito Silva  23-06-2022 17:02:36
Nenhuma surpresa nisso, desde quando politico com raras excessões tem vergonha na cara?

Responder

0
0



ENQUETE
Os casos de infecção por Covid voltaram a crescer em Mato Grosso. De quem é a culpa?
Do Poder Público, que "liberou geral" quando a pandemia diminuiu
De parte da população, que desconsiderou a necessidade da vacinação
Da Saúde Pública, que não intensifica campanha de conscientização
Das prefeituras, que decretaram o fim da obrigatoriedade das máscaras
PARCIAL