NA HORA
O jornal de Mato Grosso Facebook twitter youtube

Cuiabá MT, Quarta-feira, 29 de Junho de 2022

CUIABÁ URGENTE
Segunda-feira, 23 de Maio de 2022, 13h:19

RESTOS MORTAIS

Governo pode vender vagões do 'finado' VLT à Prefeitura do Rio

Da Redação

Divulgação

VLT

Os 40 vagões estão praticamente abandonados, num estacionamento, em Várzea Grande

Em meio à decisão do Tribunal de Contas da União (TCU), de suspender a licitação do BRT (Ônibus de Transporte Rápido), o governador Mauro Mendes (União Brasil) esbanja confiança e já quer até se desfazer dos vagões do Veículo Leve sobre Trilhos (VLT).

Os equipamentos estão abandonados, desde 2014, no estacionamento da empresa que implantou os primeiros trilhos, em Várzea Grande.

Leia também:

Prefeito de VG rejeita pagar conta do descaso e defende a obra do BRT

Segundo o jornal A Gazeta, poucas horas antes de o TCU determinar a suspensão de todo o trâmite para o início das obras do BRT, o Governo de Mato Grosso "apresentava" os vagões do VLT para uma comitiva da Prefeitura do Rio de Janeiro.

O objetivo da conversa seria firmar um acordo para vender os trens para a gestão do prefeito Eduardo Paes (PSD-RJ).

A Prefeittura do Rio já teria revelado interesse nos 40 vagões do VLT, adquiridos na Espanha, no Governo do tristemente famoso Silval Barbosa.

Enquanto isso, o prefeito Emanuel Pinheiro (MDB) faz de tudo para tentar "melar" a construção do BRT, em Cuiabá.

O prefeito de Várzea Grande, Kalil Baracat (MDB), é a favor da troca do modal de transporte público.


Comentários







Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site. Clique aqui para denunciar um comentário.




ENQUETE
Os casos de infecção por Covid voltaram a crescer em Mato Grosso. De quem é a culpa?
Do Poder Público, que "liberou geral" quando a pandemia diminuiu
De parte da população, que desconsiderou a necessidade da vacinação
Da Saúde Pública, que não intensifica campanha de conscientização
Das prefeituras, que decretaram o fim da obrigatoriedade das máscaras
PARCIAL