NA HORA
O jornal de Mato Grosso Facebook twitter youtube

Cuiabá MT, Quarta-feira, 29 de Junho de 2022

CUIABÁ URGENTE
Sexta-feira, 20 de Maio de 2022, 08h:44

TRÁFICO DE COCAÍNA

Ex-secretário e lobista de MT tinham ligação direta com o PCC

Da Redação

MidiaNews

Rowles Magalhães

Rowles Magalhães já é velho conhecido da PF, encrencado em operações de combate ao tráfico internacional de drogas

A quebra do sigilo das comunicações telefônicas e telemáticas dos integrantes da quadrilha que traficava cocaína do Brasil para a Europa, e foi desbaratada pela Polícia Federal, em 19 de abril passado, com a Operação Descobrimento, revela ligações do bando com o crime organizado.

Na denúncia feita em 11 de maio, em que pede a manutenção da prisão dos envolvidos e a devolução de R$ 139,5 milhões, o Ministério Público Federal cita a ligação da quadrilha do ex-secretário Nilson Borgato e do lobista Rowles Magalhães com o Primeiro Comando da Capital (PCC).

Leia também:

Ex-secretário, lobista e a ex-amante são denunciados por tráfico

O MPF lembra que, na primeira fase da interceptação, a PF monitorou as comunicações dos terminais móveis de várias pessoas, no período de 11/03/2021 a 25/03/2021, e identificou Marcelo Mendonça de Lemos (Gordo) como um integrante do alto escalão do PCC.

A facção era responsável pela remessa de cocaína para a Europa.

Nessa conexão, entrava a doleira Nelma Mitsue Penasso Kodama, que foi amante do lobista Rowles e tinha profundas ligações com o tráfico internacional de droga.

Só para registro: o Primeiro Comando da Capital é a maior organização criminosa do Brasil, com atuação principalmente no Estado de São Paulo, mas também em todo o território brasileiro, além de países próximos como Paraguai, Bolívia, Colômbia e Venezuela.


Comentários







Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site. Clique aqui para denunciar um comentário.




ENQUETE
Os casos de infecção por Covid voltaram a crescer em Mato Grosso. De quem é a culpa?
Do Poder Público, que "liberou geral" quando a pandemia diminuiu
De parte da população, que desconsiderou a necessidade da vacinação
Da Saúde Pública, que não intensifica campanha de conscientização
Das prefeituras, que decretaram o fim da obrigatoriedade das máscaras
PARCIAL