NA HORA
O jornal de Mato Grosso Facebook twitter youtube

Cuiabá MT, Quarta-feira, 29 de Junho de 2022

CIDADES
Quarta-feira, 22 de Junho de 2022, 16h:36

OPERAÇÃO ONIPRESENTE; VEJA VÍDEO

PF e Ibama miram esquema de garimpo e extração de madeira em MT

Ação barrou a atividade de 15 caminhões carregados de madeira, na Terra Indígena Aripuanã, durante a madrugada

Da Redação
PF/MT
Os dois órgãos estão está atuando na região desde o começo deste mês, no âmbito da operação contínua denominada Onipresente

Numa ação conjunta, agentes da Polícia Federal e do Ibama interromperam, na madrugada desta quarta-feira (22), as atividades de 15 caminhões carregados de madeira, na Terra Indígena Aripuanã, na região das aldeias Taquaral e Divisa.

Os dois órgãos estão atuando na região desde o começo deste mês, no âmbito da operação contínua denominada Onipresente, no Noroeste de Mato Grosso, na repressão à extração ilegal de madeira e aos garimpos clandestinos em terras indígenas.

Além dos 15 caminhões com madeiras, as equipes apreenderam três tratores e três motocletas.

Leia também:

Empresário é preso em flagrante com madeira ilegal em MT

Segundo a PF, trata-se de uma área muito extensa de desmatamento, com estradas que vão de Aripuanã (1.002 km a Noroeste de Cuiabá) até Rondônia, dentro da Terra Indígena.

Os cálculos são de que, todos os dias, dessa área de desmatamento, pelo menos 10 caminhões carregados de toras de alto valor.

Para a PF, considerando a grande extensão a ser fiscalizada, as equipes conseguiram, somente na madrugada de hoje, realizar o equivalente a 10 dias de trabalho.

Além da ação desta quarta-feira, os agentes da PF e do Ibama também atuaram em vários locais onde há a prática ilegal de garimpo.

No garimpo do Rio Roosevelt, foram inutilizadas seis balsas, um caminhão e três motos.

No garimpo na Terra Indígena Aripuanã, no Ponto do Tamari, foram inutilizados seis motores e uma pá-carregadeira.

Neste ano, já foi realizada uma ação, na mesma localidade, que desmantelou o garimpo.

Agora, a ação reprimiu a tentativa do retorno da atividade.

Esse ponto também foi alvo da Operação Ato Reflexo, que resultou na prisão de um servidor da Funai e de um cacique que recebia 20% de todo ouro extraído da terra indígena.

Também houve ações de fiscalizações nas terras indígenas Kayabi, Kaiapó e Zoró e no Parque Nacional do Xingu.

De acordo com a PF, a escolha das localidades fiscalizadas foi feita por meio de monitoramento via satélite, no sistema Planet, que é capaz de detectar desmatamentos em áreas tão pequenas quanto um quintal de uma casa.

Dessa forma, foi possível uma ação assertiva e eficiente.

A OPERAÇÃO - Onipresente é uma operação contínua, na qual atuam em conjunto a Polícia Federal e Ibama.

A ação é vinculada ao programa Guardiões do Bioma, do Governo Federal.

Veja vídeo da operação:


Comentários







Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site. Clique aqui para denunciar um comentário.




ENQUETE
Os casos de infecção por Covid voltaram a crescer em Mato Grosso. De quem é a culpa?
Do Poder Público, que "liberou geral" quando a pandemia diminuiu
De parte da população, que desconsiderou a necessidade da vacinação
Da Saúde Pública, que não intensifica campanha de conscientização
Das prefeituras, que decretaram o fim da obrigatoriedade das máscaras
PARCIAL