NA HORA
O jornal de Mato Grosso Facebook twitter youtube

Cuiabá MT, Terça-feira, 24 de Maio de 2022
CIDADES
Quinta-feira, 12 de Maio de 2022, 00h:00

MODAL DA DISCÓRDIA

Mendes explica escolha do BRT e Pinheiro pede vistoria in loco do TCU

Da Reportagem

Segue o impasse entre o Governo de Mato Grosso e a Prefeitura de Cuiabá referente a troca do Veículo Leve Sobre Trilhos (VLT) para o Ônibus de Rápido Transporte (BRT), entre a Capital e Várzea Grande. Ontem (11), enquanto o governador Mauro Mendes (União) se reuniu com o ministro do Tribunal de Contas da União (TCU), Aroldo Cedraz, para tentar reverter a decisão que suspendeu as obras do BRT, o prefeito Emanuel Pinheiro (MDB) pediu inspeção “in loco” de ministros do TCU ao canteiro de obras do VLT.

A suspensão de todos os procedimentos para início das obras do BRT foi proferida por meio de uma decisão liminar publicada na última sexta-feira (6) e acatou o pedido de Pinheiro. Para reverter a decisão, Mendes acompanhado de membros da bancada federal e de outros representantes do Governo do Estado foi à Brasília, onde se reuniu com o ministro Cedraz.

Durante a audiência, o chefe do Executivo esclareceu sobre a troca do modal e entregou novos documentos que serão analisados pelo ministro. Na oportunidade, Cedraz disse que vai reapreciar o caso e depois vai levar o processo ao pleno do TCU nos próximos dias.

Enquanto isso, a Procuradoria Geral do Município (PGM), seguindo uma determinação do prefeito Emanuel Pinheiro, protocolou no TCU um pedido para que uma equipe técnica do órgão controlador venha conferir “in loco” as obras paralisadas e o centro de manutenção, onde ficam os vagões do VLT, em Várzea Grande. A medida foi anunciada durante live na noite da terça.

Agora, o município aguarda a análise do Tribunal para que a data da atividade seja marcada. "Com isso, vamos acabar com esses argumentos utilizados por aqueles que querem tapar o sol com a peneira. Quando os ministros e técnicos verem os canteiros arrebentados, os trilhos largados, a central de operações que é gigante, os 34 vagões abandonados junto com os milhões de equipamentos, tenho certeza que vão dar razão ao que era um grito vazio no deserto do prefeito de Cuiabá", disse.

Na live, Pinheiro reprisou por diversas vezes uma fala de Mauro Mendes, quando ainda prefeito de Cuiabá entre 2013 e 2016, defendendo o VLT. "Como prefeito e como cidadão, acho que todos nós queremos o VLT. Não dá para imaginar já ter gasto mais de 1 bilhão, quase 1 bilhão e cem milhões de reais e jogar isso na lata do lixo", diz Mendes no vídeo.

"Por quê? O que fez o governador Mauro Mendes mudar de opinião? Eu estou fechado com o prefeito, não com o governador", indagou por inúmeras vezes o chefe do Executivo municipal.

 


Comentários







Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site. Clique aqui para denunciar um comentário.




ENQUETE
Você acha que se justifica a polêmica entre Governo e Prefeitura em torno de VLT e BRT?
Tudo não passa de interesses político-eleitorais
O VLT já era. Obra deveria ter saído em 2014
O BRT não vai melhorar o sistema de transporte público
Qualquer um dos modais é solução para Cuiabá e VG
PARCIAL