NA HORA
O jornal de Mato Grosso Facebook twitter youtube

Cuiabá MT, Sábado, 25 de Junho de 2022

CIDADES
Terça-feira, 10 de Maio de 2022, 08h:22

SER FAMÍLIA

Governo entrega novos cartões e paga auxílio de abril em MT

O pagamento de R$ 200 a 100 mil famílias é garantido, bimestralmente, até dezembro de 2022

Da Redação
Marcos Vergueiro/Secom-MT
Para entregar os cartões aos municípios do interior do Estado, a Setasc contará com o apoio da Sesp

O Governo de Mato Grosso começou a entregar, na segunda-feira (9), os novos cartões do Ser Família Emergencial para as 100 mil famílias beneficiadas pelo programa em todo o Estado.

Os novos cartões serão abastecidos com o auxílio de R$ 200, referentes ao pagamento bimestral do mês de abril.

Para os beneficiários de Cuiabá, a troca dos cartões será feita a partir de quinta-feira (12), na sede da Secretaria de Assistência Social e Cidadania (Setasc), a partir das 8h.

Leia também:

Mais de 800 mil pessoas utilizam planos de saúde privados em MT

Segundo a secretária de Assistência Social e Cidadania, Rosamaria Carvalho, para entregar os cartões aos municípios do interior do Estado, a Setasc contará com o apoio da Secretaria de Estado de Segurança Pública (Sesp).

“Contamos com a parceria da Polícia Militar, que já começou a retirar os cartões aqui na sede da Setasc para levar aos seus comandos regionais, de onde serão distribuídos aos municípios. Para aqueles municípios mais distantes vamos contar com o apoio do Centro Integrado de operações Aéreas – Ciopaer. Até quinta-feira esperamos estar com todos os cartões dentro das regionais para serem distribuídos aos beneficiários”, disse.

O Ser Família beneficia 100 mil famílias em situação de vulnerabilidade de todo o Estado, que estejam inscritas no Cadastro Único das Políticas Sociais Brasileiras do Ministério da Cidadania (CadÚnico) e também no Programa Bolsa Família.

O pagamento de R$ 200 é garantido, bimestralmente, até dezembro de 2022.

O benefício é destinado exclusivamente para compra de alimentos, sendo proibida a aquisição de bebidas alcoólicas, produtos à base de tabaco, cosméticos e combustíveis.

“O governador Mauro Mendes pediu que a gente agilizasse para que esse cartão chegasse o mais rápido possível nas mãos das pessoas que precisam, porque esse dinheiro faz muita falta para elas. O nosso foco são essas pessoas, pois a insegurança alimentar é muito grande e esse dinheiro ajuda muito”, destacou Rosamaria Carvalho.

RESCISÃO DE CONTRATO - O Governo de Mato Grosso rescindiu o contrato com a empresa Eovale (Meovale), pelo descumprimento da prestação de serviço do programa Ser Família Emergencial.

A empresa não fazia o repasse dos valores devidos aos estabelecimentos credenciados, mesmo com o Estado mantendo em dia todos os pagamentos junto à empresa e aos beneficiários.

Para garantir a manutenção do programa emergencial, uma nova empresa foi convocada para administrar os cartões e gerenciar o contrato com os estabelecimentos comerciais.

“Nesses cartões têm a logomarca do Governo de Mato Grosso, e os comerciantes fecham o contrato com empresa porque acreditam no Governo. Apesar de não ter obrigação legal, o Governo vai efetuar esse pagamento porque têm muitos comércios pequenos que podem ir à falência pela ausência desse pagamento”, disse a secretária, explicando que o Governo de Mato Grosso buscará judicialmente que os cofres públicos sejam ressarcidos dessa dívida.

A sede da Setasc está localizada na Rua Jornalista Amaro Figueiredo Falcão, nº 503, bairro CPA 1, em Cuiabá (ao lado do Supermercado Comper).

Informações pelos telefones: (65) 3613-5701; (65) 3613-5722; (65) 99233-0817; (65) 99339-7468; e (65) 98433-0386.


Comentários







Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site. Clique aqui para denunciar um comentário.




ENQUETE
Os casos de infecção por Covid voltaram a crescer em Mato Grosso. De quem é a culpa?
Do Poder Público, que "liberou geral" quando a pandemia diminuiu
De parte da população, que desconsiderou a necessidade da vacinação
Da Saúde Pública, que não intensifica campanha de conscientização
Das prefeituras, que decretaram o fim da obrigatoriedade das máscaras
PARCIAL