NA HORA
O jornal de Mato Grosso Facebook twitter youtube

Cuiabá MT, Sexta-feira, 24 de Junho de 2022

CIDADES
Quarta-feira, 22 de Junho de 2022, 00h:00

SAÚDE PÚBLICA

Demora no atendimento expõe crise na saúde em Cuiabá

Na noite desta última segunda-feira (20), um paciente passou mal enquanto aguardava atendimento na UPA Verdão, que estava lotada

JOANICE DE DEUS
Da Reportagem

Em Cuiabá, quem recorre às unidades de pronto atendimento públicas precisa lidar, diariamente, com dificuldades que, ano após ano, não são sanadas, como superlotação e demora no atendimento. Problemas que mais uma vez foram expostos na noite desta última segunda-feira (20), quando um paciente passou mal enquanto aguardava atendimento na UPA Verdão.

Um vídeo gravado por outro usuário que também esperava na unidade mostra o homem desmaiando e caindo ao chão, sendo ajudado por outras pessoas que estavam no local. A gravação mostra ainda a superlotação na UPA.

“Olha isso, o cara passando mal, não faz isso gente. Pelo amor de Deus. Olha prefeito Emanuel Pinheiro, olha o que você está fazendo com a população prefeito. O cara está passando, a população está aqui desde às 9 horas da manhã. Toma vergonha!”, brada o autor do vídeo.

“A pessoa está morrendo em vocês não fazem nada. Olha isso, olha como está lotado isso aqui gente”, prossegue mostrando a recepção da UPA cheia de pacientes. As imagens da unidade superlotada viralizaram nas redes sociais.

Em nota, a SMS esclareceu que, durante o plantão do dia (21), a UPA Verdão atendeu com o quadro completo de médicos, sendo três clínicos gerais e um médico no box de emergência, além de dois pediatras. No plantão da noite, a UPA funcionou com dois clínicos gerais e um médico no box de emergência e dois pediatras.

Segundo a SMS, em um plantão de 24 horas, o preconizado pelo Ministério da Saúde (MS) é que uma UPA do porte da unidade do “Verdão” atenda em média 300 pessoas. “Em 17 horas de plantão, já haviam sido atendidos 257 pacientes, sendo que 40 oriundos do município de Várzea Grande”, informou. “Válido ressaltar que a UPA Verdão é 100% custeada com recursos da Prefeitura de Cuiabá, sem recursos do Governo Federal e Governo Estadual”, completa.

O órgão municipal segue informando que “após o fim de semana foi registrado um aumento considerável de pacientes, na sua maioria com classificação verde (sem urgência, de acordo com o protocolo internacional de Manchester), o que permite um tempo maior de espera por atendimento”.

Segundo a SMS, o paciente que aparece passando mal no vídeo gravado no local estava aguardando procedimento de avaliação pela triagem. Quando começou a sentir-se mal, ele foi imediatamente acolhido pela equipe e atendido. “Após ser atendido, ele foi medicado e, inclusive, gravou um vídeo elogiando o atendimento e agradecendo a equipe da UPA Verdão”, frisa.

No vídeo divulgado pela SMS, o rapaz se identifica pelo prenome de Eduardo e diz que depois que passou pela classificação de risco foi atendido imediatamente. “Fui atendido muito bem, não demorei ao ser passado pela classificação, fui atendido muito bem e estou bem. Me deram maior atenção e me sinto muito grato pelo atendimento aqui na UPA Verdão”, afirmou. “Quero agradecer todos pela atenção”, acrescenta. A SMS lamentou ainda o problema ocorrido e ressalta que toda a equipe da UPA trabalha intensamente para que todos os pacientes possam ser bem atendidos.

Em abril passado, o Sindimed-MT cobrou a realização de concurso público na área e denunciou sobrecarga de trabalho e prejuízos aos usuários em decorrência dos “furos” nas escalas de plantão dos profissionais que atuam na rede municipal. Devido as falhas, os especialistas acabam trabalhando com uma carga excessiva, além de exercer outras funções. No momento, um processo seletivo está em andamento para atender a demanda.

 


Comentários







Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site. Clique aqui para denunciar um comentário.




ENQUETE
Os casos de infecção por Covid voltaram a crescer em Mato Grosso. De quem é a culpa?
Do Poder Público, que "liberou geral" quando a pandemia diminuiu
De parte da população, que desconsiderou a necessidade da vacinação
Da Saúde Pública, que não intensifica campanha de conscientização
Das prefeituras, que decretaram o fim da obrigatoriedade das máscaras
PARCIAL