NA HORA
O jornal de Mato Grosso Facebook twitter youtube

Cuiabá MT, Quarta-feira, 29 de Junho de 2022

CIDADES
Sábado, 18 de Junho de 2022, 09h:57

VIGILÂNCIA EM SAÚDE

Cuiabá está em alerta devido à morte de um cão com raiva

As pessoas que tiveram contato com o animal, em Cuiabá, devem buscar orientação e o soro antirrábico

JOANICE DE DEUS
Da Reportagem
Secom-Cuiabá
O cão foi encontrado no pátio externo na unidade de Vigilância de Zoonoses (UVZ), no dia 27 de abril passado.

A Secretaria Municipal de Saúde está em alerta devido à morte de um cachorro, que recebeu diagnosticado positivo para a raiva, em Cuiabá.

Por isso, o setor de Vigilância em Saúde do órgão municipal adverte para a necessidade de prevenção contra a raiva humana, que pode ser transmitida aos humanos pela saliva de animais infectados, principalmente, por meio de mordidas.

Leia também:

Em 4 dias, Mato Grosso tem mais de 3 mil casos de Covid-19

Gestora do Centro de Informações Estratégicas de Vigilância em Saúde, Moema Blatt informou que o cão foi encontrado no pátio externo na unidade de Vigilância de Zoonoses (UVZ), no dia 27 de abril passado.

O bicho foi acolhido e foi a óbito em 4 de maio.

O laudo laboratorial, que ficou pronto no dia 14 de junho, indicou teste positivo para raiva, conforme informações da assessoria de imprensa da SMS.

“A pessoa que deixou o animal pode ter sido contaminada pelo vírus da raiva ou outras pessoas que tiveram contato antes”, alertou.

Diante do caso, a Vigilância em Saúde orienta que a pessoa que teve contato com o cão compareça com a máxima urgência ao Centro de Informações Antiveneno (Ciave), que fica no Hospital Municipal de Cuiabá (HMC), para que seja avaliada e orientada.

“Precisamos que o dono do animal e outras pessoas que tiveram contato com o cachorro nos meses de março e abril deste ano compareçam ao Ciave o quanto antes para receber o soro antirrábico”, reforçou.

“Nosso chamamento é urgente, pois as pessoas podem ter sido infectadas e é imprescindível que elas recebam o soro o mais rápido possível, para evitar que a doença se manifeste”, completou.

RAIVA - A raiva pode ser também transmitida por arranhadura ou lambedura dos animais.

Cães e gatos com suspeita da doença apresentam sintomas como salivação espessa e excessiva, paralisia, falta de apetite, hidrofobia, dilatação das pupilas e mudanças de comportamento como agressividade, autoataque, cansaço e reclusão em locais escuros.

O animal deve permanecer observado na residência e não deve ser doado nem abandonado pelo responsável.

Se a suspeita está relacionada com animal de rua, este deve ser recolhido para observação clínica na sede da unidade.

A raiva humana, também chamada de hidrofobia, é uma doença viral que compromete o sistema nervoso central (SNC) e pode levar o portador à morte, em 5 a 7 dias após a manifestação dos sintomas.

Humanos que sofrerem agressão de animais com suspeita de raiva devem imediatamente procurar atendimento médico.

A vacinação anual de cães e gatos é eficaz na prevenção contra a raiva nesses animais, o que consequentemente previne também a raiva humana.

Contudo, estima-se que Cuiabá tenha cerca de 14 mil animais abandonados.

O cálculo é feito com base em informações da Organização Mundial da Saúde (OMS) e funciona da seguinte forma: em cidades de grande porte calcula-se que para cada cinco habitantes há um cachorro.

A partir desta projeção, a Capital, que tem cerca de 700 mil habitantes, conta com aproximadamente 140 mil animais domésticos.

Deste montante, a estimativa é de que 10% deles estejam perambulando pelas ruas.


Comentários







Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site. Clique aqui para denunciar um comentário.




ENQUETE
Os casos de infecção por Covid voltaram a crescer em Mato Grosso. De quem é a culpa?
Do Poder Público, que "liberou geral" quando a pandemia diminuiu
De parte da população, que desconsiderou a necessidade da vacinação
Da Saúde Pública, que não intensifica campanha de conscientização
Das prefeituras, que decretaram o fim da obrigatoriedade das máscaras
PARCIAL