NA HORA
O jornal de Mato Grosso Facebook twitter youtube

Cuiabá MT, Quinta-feira, 18 de Agosto de 2022

ARTIGO
Segunda-feira, 01 de Agosto de 2022, 17h:20

GABRIEL NOVIS

Professor seduzido pelas belezas de Utiariti

Nada, porém, comparável ao respeito humano dos povos primitivos

O professor Danilo Perestrelo foi meu professor de medicina, na disciplina de clínica médica. Lecionava medicina psicossomática, uma novidade no Brasil.

Ele foi considerado o “pai da medicina psicossomática” no Brasil.

Autor de livros sobre como tratar de humanos.

Muito famoso, lecionava essa nova disciplina na UFRJ, atendia a um consultório muito frequentado e viajava pelo Brasil e exterior proferindo palestras.

Certa ocasião, em companhia da sua mulher, que era psicanalista e professora, foram me visitar na sala de partos, número dois da UFMT (Gabinete do Reitor).

Estavam fazendo uma visita ao Pantanal e à Chapada dos Guimarães.

Sabedor que um ex-aluno seu estava implantando uma universidade federal, se animou para uma conversa.

O casal de professores, estava encantado com tudo que viram de belo nos lugares onde foram levados, inclusive com a nossa culinária.

Trocamos ideias sobre a implantação de uma universidade federal, em uma região tão distante dos centros desenvolvidos.

Essa é a minha missão professor, respondi.

Meus assessores têm que ser “selváticos”, como Noel Nutels, irmãos Vilasboas e os padres jesuítas da selva.

Perguntei se conhecia um hospital indígena, tão diferente daquele que me haviam ensinado na faculdade.

Cheio de redes de cipó e trepadeiras e de algodão.

Muitas vezes, o hospital indígena estava lotado com apenas um índio internado.

Nessas nações, não se internava apenas o paciente, mas todo o grupo tribal.

Providenciei os seus transportes, e cedo o aviãozinho da Missão Anchieta, decolou com o casal de pesquisadores psicanalistas, para retornar à tardinha

O velho professor e sua mulher ficaram curiosos em poder conhecê-lo.

Providenciei os seus transportes, e cedo o aviãozinho da Missão Anchieta, decolou com o casal de pesquisadores psicanalistas, para retornar à tardinha.

No outro dia, voltaram à sala de partos (Gabinete da Reitoria) para se despedirem, agradecer o passeio e comentá- lo.

Disse-me Perestrelo, do seu “deslumbramento” com a Chapada do “Véu da Noiva” e a beleza da natureza do pantanal.

Nada, porém, comparável ao respeito humano dos povos primitivos.

O cuidado para o tratamento humanizado que encontrou no hospital indígena, era desconhecido para ele.

A beleza das águas da cachoeira do Utiariti o fez, com a sua mulher, deixarem as suas roupas para mergulharem nelas!

Voltou para o Rio disposto a introduzir novas técnicas ao tratamento psicossomático.

Aprendeu muito na sua visita à selva. 

GABRIEL NOVIS NEVES é médico em Cuiabá e ex-reitor da UFMT.


Comentários







Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site. Clique aqui para denunciar um comentário.




ENQUETE
Cuiabá flerta, cada vez mais, com o rebaixamento no Brasileirão. De quem é a culpa?
Do treinador
Da torcida
Dos cartolas
Dos jogadores
PARCIAL