NA HORA
O jornal de Mato Grosso Facebook twitter youtube

Cuiabá MT, Sábado, 25 de Junho de 2022

AMBIENTE
Segunda-feira, 28 de Março de 2022, 09h:23

ÁGUA PARA O FUTURO

Projeto identifica 405 nascentes com índice de degradação de 85%

Iniciativa do MPMT busca garantir segurança hídrica e o abastecimento de água potável

JOANICE DE DEUS
Da Reportagem
WWF Brasil
Somente na Capital, foram confirmadas 263 nascentes com um índice de conservação de apenas 15%

Em Mato Grosso, o projeto “Água para o Futuro” já confirmou e caracterizou 405 nascentes, em nove municípios mato-grossenses, incluindo, Cuiabá.

Somente na Capital, foram confirmadas 263 nascentes com um índice de conservação de apenas 15%.

Criada em 2015, pelo Ministério Público do Estado (MP-MT), a iniciativa busca garantir segurança hídrica e o abastecimento de água potável.

Leia também:

Instituto aponta elevação da temperatura de até 1,6ºC na Capital

De acordo como coordenador do projeto, o promotor de Justiça Marcelo Caetano Vacchiano, dentre as nascentes confirmadas, 62 estão em processo de recuperação, mediante celebração de Termos de Ajustamento de Conduta (TAC) e acordos judiciais.

Existem ainda outras que se encontram em fase de negociação para se firmarem as TACs.

Entre os exemplos de recuperação de nascentes, o promotor destaca o “Parque da Nascente”, localizado no bairro Morada do Ouro, em Cuiabá.

O espaço conta com áreas de recreação, lazer e contemplação da natureza.

Além da Capital, o projeto é desenvolvido em Rondonópolis, Chapada dos Guimarães, Várzea Grande, Alto Taquari, Alto Araguaia, Sapezal e Lucas do Rio Verde.

Conforme informações da assessoria de imprensa do MP, já foram delimitados mais de 4,5 milhões de metros quadrados de áreas de preservação permanente (APP) de nascentes, até o momento.

As informações constam nas bases de dados do projeto, e são consultadas diariamente pelos órgãos de fiscalização e licenciamento.

O relatório apresentado este ano pelo “Água para o Futuro” mostra que 85% das nascentes confirmadas estão degradadas por desmatamento, queimadas, aterramento, processos erosivos, lançamento de esgoto e resíduos sólidos, ocupações irregulares, entre outros fatores de degradação.

Mas, além do trabalho de identificação das nascentes, a equipe do projeto também é responsável pela produção de manifestações técnicas, como relatórios, comunicações internas e planos de recuperação de áreas degradadas.

O material produzido serviu de subsídio para a atuação de promotores de Justiça, em mais de 200 procedimentos administrativos.

Os dados foram divulgados no Dia Mundial da Água, celebrado em 22 de março.

O projeto “Água para o Futuro” conta com duas premiações junto ao Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP).

Com informações da Assessoria de Imprensa


2 COMENTÁRIOS:







Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site. Clique aqui para denunciar um comentário.

Antônio   29-03-2022 01:31:07
Esse projeto para conservação dos recursos híbridos de Mato Grosso é o que garante e nos protege da degradação desses mananciais, vamos apoiar o Ministério Público pois esse projeto irá dar sustentabilidade e proteção para que tenhamos água mo futuro.

Responder

1
0
Valquíria Carvalho Azevefo  28-03-2022 18:44:39
Parabéns ao MP pela iniciativa. Água e vida.

Responder

1
0



ENQUETE
Os casos de infecção por Covid voltaram a crescer em Mato Grosso. De quem é a culpa?
Do Poder Público, que "liberou geral" quando a pandemia diminuiu
De parte da população, que desconsiderou a necessidade da vacinação
Da Saúde Pública, que não intensifica campanha de conscientização
Das prefeituras, que decretaram o fim da obrigatoriedade das máscaras
PARCIAL