NA HORA
O jornal de Mato Grosso Facebook twitter youtube

Cuiabá MT, Quarta-feira, 10 de Agosto de 2022

AMBIENTE
Sexta-feira, 01 de Julho de 2022, 09h:31

MT TEM MAIOR TRANSPARÊNCIA

Amazônia: estados restringem dados da extração ilegal de madeira

A devastação da floresta se acelera e baixo nível de transparência dos estados sobre o setor madeireiro segue estagnado

DO IMAZON
Vicente Sampaio/Imaflora
Sem dados púbicos, análise sobre a extração de madeira na Amazônia fica difícil. MT e Pará são exceções

Enquanto a devastação da floresta amazônica avança em ritmo acelerado, o baixo nível de  transparência dos estados sobre o setor madeireiro segue estagnado.

Uma pesquisa que analisou a evolução da atividade na Amazônia, entre 1980 e 2020, revelou que há problemas no controle da cadeia nos nove estados que compõem a região, além de restrições de acesso a dados públicos.

E isso mesmo, após uma década da implementação da Lei de Acesso à Informação (LAI).

Leia também:

Sema-MT flagra garimpo ilegal em nascentes do Rio Paraguai

Queimadas aumentam 25% e ficam proibidas a partir de sexta

A consequência da baixa transparência é a impossibilidade de checar o quanto dos 462 mil hectares que tiveram extração de madeira na Amazônia entre agosto de 2019 e julho de 2020, o dado mais atual, foram explorados de forma irregular.

O que prejudica a proteção da floresta e de seus povos, a imagem do país e os consumidores.

Produzido pela Rede Simex, que reúne quatro instituições ambientais: Imazon, Idesam, Imaflora e ICV, o estudo avaliou os estados em seis indicadores relacionados à divulgação de dados das autorizações para exploração florestal e do Documento de Origem Florestal (DOF) ou da Guia Florestal (GF). 

Na análise de cada estado, três deles não divulgam nem as autorizações e nem os documentos de transporte: Acre, Amapá e Maranhão, sendo os piores na avaliação de transparência.

Já Roraima, Rondônia e Tocantins têm os dados das autorizações acessíveis, mas não são atuais e estão incompletos, além de não divulgarem informações sobre o DOF. Cenário que é ainda mais preocupante em Rondônia, pois o estado concentra a terceira maior área com extração de madeira na Amazônia.

No caso do Amazonas, o segundo estado com a maior área de exploração madeireira na região, os dados das autorizações são acessíveis e atuais, porém estão incompletos. 

A maior transparência é do Pará e de Mato Grosso, com destaque positivo para o segundo estado.

Em Mato Grosso, Estado responsável por mais da metade da área com exploração madeireira na Amazônia, os dados das autorizações e das Guias Florestais são acessíveis e atuais, mas não é possível fazer um download único da base de dados dessas guias devido ao grande volume de informações.

Leia AQUI a reportagem completa.


Comentários







Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site. Clique aqui para denunciar um comentário.




ENQUETE
Cuiabá flerta, cada vez mais, com o rebaixamento no Brasileirão. De quem é a culpa?
Do treinador
Da torcida
Dos cartolas
Dos jogadores
PARCIAL