NA HORA
O jornal de Mato Grosso Facebook twitter youtube

Cuiabá MT, Sábado, 08 de Agosto de 2020
Primeira Página
Segunda-feira, 25 de Junho de 2018, 19h:01

OPOSIÇÃO

Wellington rebate críticas do governador Pedro Taques

O senador Wellington Fagundes (PR), pré-candidato ao Governo do Estado rebateu as críticas do governador Pedro Taques (PSDB), de que seu arco de alianças é formado apenas por integrantes da gestão passada. Para o republicano, o atual chefe do Executivo Estadual não tem legitimidade para proferir este tipo de crítica, uma vez que a sua base de sustentação na Assembleia Legislativa é formada pelos mesmos parlamentares que defendiam a gestão do ex-governador Silval Barbosa. “O governo Pedro Taques também tem gente que estava no governo Silval. Foi esse, inclusive, o grande problema da gestão do Taques, a grande falta de gestão, pois ele excluiu setores da sociedade, excluiu a classe política e agora está lá de volta. A base que dá sustentação para ele hoje na Assembleia é exatamente a mesma base que deu sustentação para o governo passado”, refutou. O republicado ainda lembrou que, o deputado estadual Max Russi (PSB), que foi secretário de Trabalho e Assistência Social (Setas) e também chefe da Casa Civil no ano passado, era ligado ao grupo de apoio da gestão Silval. “O Max também está lá com ele. E o Max era uma pessoa que estava na nossa aliança e estava em um partido e voltou para o PSB”, enfatizou. No que diz respeito a eleição deste ano, Fagundes não descarta a possibilidade de vir a unir forças com o Democratas (DEM) para o pleito de outubro deste ano. O republicano, que desde o ano passado vem trabalhando o seu nome para a disputa ao Governo do Estado, garante que não tem veto a nenhum partido e quer dialogar com todos até a convenção. “Nós queremos somar, quanto mais a gente puder ter apoio melhor. Sempre disse que nós não estamos fechados, não temos veto a ninguém eu acho que agora e o momento de dialogar até a convenção. As convenções que vão dar a resposta final, mas eu vejo que quanto mais candidatos, melhor para a população ter a opção de poder escolher. Agora se outros partidos quiserem conversar conosco, nós estamos abertos”, pontua. A pré-candidatura de Fagundes já conta com o apoio de cinco partidos e trabalha no convencimento do PSD, que possui o ex-vice-governador Carlos Fávaro ao Senado Federal. “Já temos conosco o MDB, PT, PTB, PP, PCdoB e o PSD, que estamos conversando”, enfatizou. (KA)

Comentários







Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site. Clique aqui para denunciar um comentário.




ENQUETE
Como você vê as acusações entre Mauro Mendes e Emanuel Pinheiro sobre o caos na pandemia?
O governador é o culpado
O prefeito da Capital também tem culpa
Essa briga prejudica as ações de combate à Covid-19
É uma disputa político-eleitoral
PARCIAL