NA HORA
O jornal de Mato Grosso Facebook twitter youtube

Cuiabá MT, Quarta-feira, 27 de Maio de 2020
Primeira Página
Sexta-feira, 17 de Agosto de 2018, 17h:21

ASSEMBLEIA LEGISLATIVA

Maioria dos deputados que vão à reeleição estão mais ricos

KAMILA ARRUDA
Da Reportagem
Dos 18 deputados estaduais que buscarão a reeleição no pleito de outubro deste ano, 14 apresentaram aumento em seu patrimônio em relação a eleição de 2014. Dilmar Dal’Bosco (DEM) é o que apresentou o maior aumento nos últimos quatro anos. Ele elevou seus bens em 865,2% passando de R$ 2,3 milhões para R$ 22,2 milhões neste ano. Outro parlamentar que também obteve um crescimento significativo em seu patrimônio foi o deputado estadual Max Russi (PSB). O seu patrimônio apresentou um crescimento de 556%. Na eleição passada o socialista declarou R$ 518,6 mil em bens, enquanto este ano apresentou uma relação com bens que, somados, chegam a R$ 3,4 milhões. Apesar disso, é o deputado estadual Zeca Viana (PDT) que recebe o título de parlamentar mais rico. O pedetista possui um patrimônio de R$ 255,6 milhões. Constam na fortuna do político itens como terrenos, créditos decorrentes de empréstimo, quotas ou quinhões de capital, ações, entre outros. O montante é 192,4% superior ao que foi declarado por ele em 2014, quando ele afirmou possuir R$ 87,4 milhões em bens. Na ocasião, o parlamentar foi considerado o deputado estadual mais rico do país, liderando a lista de 375 deputados eleitos e reeleitos que possuiam patrimônio superior a R$ 1 milhão. Outros parlamentares que também apresentaram aumento em seu patrimônio foram Adalto de Freitas (PATRIOTA), Guilherme Maluf (PSDB), Janaína Riva (MDB), Nininho (PSD), Oscar Bezerra (PV), Pedro Satelite (PSD), Allan Kardec (PDT), Saturnino Masson (PSDB), Sebastião Rezende (PSC), Valdir Barranco (PT) e Wagner Ramos (PSD). Em contrapartida, quatro parlamentares diminuíram os seus patrimônios nos últimos quatro anos. O presidente da Assembleia Legislativa, deputado estadual Eduardo Botelho (DEM) foi um deles. O democrata apresentou uma queda de 16,45% nos seus bens, passando de R$ 7,9 milhões em 2014 para R$ 6,6 milhões este ano. No entanto, quem mais reduziu o seu patrimônio foi o deputado Wilson Santos (PSDB). Ele apresentou uma baixa de 31,4% em relação a eleição passada, onde declarou possuir R$ 916,4 mil em bens. Neste ele, o tucano apresentou uma relação com R$ 628,4 mil em bens. Além dele e de Botelho, também tiveram quedas em seus patrimônios os deputados Romoaldo Junior (MDB) e Gilmar Fabris (PSD).

Comentários







Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site. Clique aqui para denunciar um comentário.





ENQUETE
Como você vê a decisão da Prefeitura de Cuiabá de prorrogar o isolamento social?
A medida do prefeito é acertada
Poderia ser mais flexível em alguns setores
Só precisa a população se conscientizar mais
Tanto faz
PARCIAL