NA HORA
O jornal de Mato Grosso Facebook twitter youtube

Cuiabá MT, Sábado, 19 de Setembro de 2020
POLÍTICA
Sábado, 12 de Setembro de 2020, 00h:00

RALF LEITE

Vereador pode ser novamente cassado

O vereador Ralf Leite pode ter que sair do cargo menos de uma semana após ter tomado posse

KAMILA ARRUDA
Da Reportagem

O vereador Ralf Leite (MDB) pode ter que sair do cargo menos de uma semana após ter tomado posse. A Mesa Diretora da Câmara de Cuiabá encaminhou o pedido de perca de mandato protocolado pelos vereadores do Cidadania para análise da Procuradoria da Casa de Leis.

Caso seja constatado que o emedebista esteja mesmo com os seus direitos políticos suspensos pela Justiça, a sua posse será anulada.

A medida é reflexo de um requerimento protocolado pelos vereadores Diego Guimarães e Felipe Wellaton. Para os parlamentares, Ralf aproveitou o período eleitoral, no qual o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) mantém bloqueado o lançamento de novas inscrições de suspensão de direitos políticos, para poder tomar posse.

O emedebista assumiu uma cadeira na no Legislativo Cuiabano na última terça-feira (8). Ele entrou na vaga do vereador Chico 2000 (PL), que se licenciou do cargo por 31 dias.

O pedido de cassação foi encaminhado ao presidente do Parlamento Municipal, vereador Misael Galvão (PTB), nesta quarta-feira, dia 09. Durante a sessão ordinária desta quinta-feira (10), Guimarães reiterou o pedido e pediu providências da Mesa Diretora quanto ao fato.

Para ele, o presidente pode responder por omissão, caso nenhuma providência seja tomada. Isto porque, no requerimento que pede a perda do mandado de Ralf, foi anexado a certidão emitida pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ), o qual afirma que Ralf está com os direitos políticos suspensos desde 18 de dezembro de 2019, em razão de acórdão condenatório, transitado em julgado, exarada pelo Poder Judiciário do Estado de Mato Grosso.

"É de conhecimento que para a posse no cargo de vereador há necessidade de apresentação de certidão de quitação eleitoral. Todavia, o lançamento de novas inscrições de suspensão de direitos políticos está suspenso em prazo de aproximadamente 150 dias antes das eleições. O vereador utilizou-se desse subterfúgio para, mesmo tendo conhecimento de sentença condenatória transitada em julgada, que suspendeu por três anos seus direitos políticos, para tomar posse no cargo que sabidamente não podia", diz trecho do ofício.

Diante disso, os vereadores de oposição ainda pedem que seja encaminhado ao Ministério Público Estadual (MPE) cópia de todos os documentos utilizados para dar posse a Ralf.

"Assim, diante da suspeita de apresentação de informação inverídica e documento não condizente com a realidade jurídica do vereador, requeiro remessa dos documentos utilizados para a posse do Ver. Ralf Leite ao Ministério Público do Estado de Mato Grosso, para que averígue eventual ocorrência de crime", finalizam os vereadores.

Caso seja constatado o fato, Ralf pode ser cassado pela segunda vez. Isto porque, no ano de 2009 ele teve o seu mandato cassado por quebra de decoro parlamentar, depois de ser flagrado com uma travesti, menor de idade, na região do Zero em Várzea Grande.

O episódio gerou o maior bate boca no Parlamento Municipal durante a sessão ordinária desta quinta-feira, dia 10. Diante do pedido, Ralf disparou diversas acusações contra os parlamentares de oposição.

"Assumi de forma legitima, legal. Já tive a oportunidade de estar nesta Casa, tive duas acusações e duas absolvições, voltei pela mais alta corte do nosso país. Hoje gostaria de falar de coisas boas nesta tribuna, como o viaduto Juca do Guaraná, o novo HMC, diversas reformas de UPAs e Policlínicas, mas o momento me faz tocar nesse assunto", disse.

Ralf afirma que recebeu o pedido com surpresa e garante ter o direito de estar no cargo. "Fui surpreendido com um pedido de um partido político por dois vereadores insignificantes que até hoje não apresentaram nada de bom para sociedade", refutou.

Para o emedebista, esta é uma forma de retaliação dos vereadores, especialmente do Diego. "Diego talvez tenha ficado ofendido porque ele apresentou um título de cidadão a um advogado que esta sendo acusado de vários crimes, e eu pedi a suspensão dessa honraria", disparou Ralf fazendo referência ao advogado Cleverson Campos Contó, que está sendo acusado de agressão por diversas mulheres.

Já com relação a Wellaton, o emedebista reviveu o processo no qual ele foi acusado pelo seu ex-chefe de gabinete de "rachadinha", ou seja, de ficar com parte de seu salário. "Felipe bateu a carteira do chefe de gabinete dele, na famosa rachadinha que o Queiroz também fez. Não está usando do princípio da inocência, que ele mesmo usou na fundamentação para arquivar o processo que pesa contra ele", disse Ralf.

Wellaton rebateu as acusações e disse que já provou na Justiça que as acusações contra ele foram infundadas, e ainda citou um trecho da música do cantor Gabriel o Pensador para descrever o emedebista. "Sou playboy filhinho de papai, eu tenho um pitbull e imito o que ele faz", cantarolou.

O parlamentar ainda lembrou as acusações de agressão contra mulher que pesa contra Ralf. "Respeita o voto na urna, diferente do senhor que está aqui e tem uma certidão negativa. Quer suspender a honraria do advogado, mas esqueceu que também já foi acusado de agressor de mulheres", finalizou.

 


Comentários







Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site. Clique aqui para denunciar um comentário.




ENQUETE
MT terá eleições simultâneas para vereador, prefeito e senador? Você já escolheu seus candidatos?
Sim
Não
Vou anular os votos
Nenhum dos candidatos presta
PARCIAL