NA HORA
O jornal de Mato Grosso Facebook twitter youtube

Cuiabá MT, Terça-feira, 01 de Dezembro de 2020
POLÍTICA
Sábado, 24 de Outubro de 2020, 15h:55

CORRIDA PELO ALENCASTRO

Partidos movimentam R$ 2,4 milhões na campanha em Cuiabá

A maior doação registrada, até o momento, foi do Pros, que repassou R$ 900 mil para a candidata Gisela Simona

KAMILA ARRUDA
Da Reportagem
Sicom
Denúncias de corrupção, apoio ao bolsonarismo e críticas à atual gestão municipal marcaram a campanha

Os partidos políticos resolveram abrir o bolso e começaram a injetar dinheiro nos candidatos ao Palácio Alencastro.

As agremiações já movimentaram R$ 2.447,900 milhões em doações aos candidatos a prefeito de Cuiabá.  

A medida é uma forma de alavancar as campanhas eleitorais, tendo em vista que restam pouco mais de 20 dias para o dia da eleição, marcada para 15 de novembro.  

A maior doação registrada, até o momento, foi do Partido Republicano da Ordem Social (Pros), que repassou R$ 900 mil para a ex-superintendente do Procon Estadual, Gisela Simona.  

Ela ainda recebeu uma doação, no valor de R$ 350 mil, do Partido Democrático Trabalhista (PDT), que integra o seu arco de alianças e lançou o maestro Fabrício Carvalho como candidato a vice-prefeito.  

No total, Simona já declarou uma receita de R$ 1.355,6 milhão, sendo o Pros o seu maior doador de campanha, até o momento.  

A fim de garantir a reeleição do prefeito Emanuel Pinheiro, o Movimento Democrático Brasileiro (MDB) desembolsou R$ 643,9 mil para ele investir em sua campanha eleitoral.  

Além disso, o Partido Trabalhista Brasileiro (PTB) também doou R$ 10 para o atual chefe do Executivo Municipal, conforme consta no sistema de registro de candidatura do Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

Pinheiro registra uma receita de R$ 643,9 mil, no total.  

O Partido dos Trabalhadores (PT) não deixou o ex-juiz federal Julier Sebastião na mão e também fez uma doação considerável para o candidato.

A legenda repassou R$ 327 mil para o petista. O valor é equivalente ao total de receita apresentado por Julier, até o momento. 

O apresentador Roberto França (Patriota), que também encara o pleito deste ano, possui uma receita de R$ 200 mil, onde todo o recurso é originário de uma doação feita pelo Democratas (DEM), partido do governador Mauro Mendes, maior apoiador de sua campanha.  

O Partido Social Liberal (PSL), por sua vez, desembolsou R$ 30 mil para impulsionar a campanha do advogado Aécio Rodrigues (PSL) na Capital. O candidato já arrecadou R$ 35 mil, até o momento. 

Os candidatos Gilberto Lopes (PSol) e Paulo Grando (Novo) também registraram doações de suas siglas, mas o valor é insignificante, se comparado ao dos demais candidatos.

Enquanto Lopes recebeu R$ 4 mil do Psol, Grando registrou uma doação de R$ 6 mil do Novo. 

No total, eles possuem uma receita de R$ 4 mil e R$ 53,6 mil, respectivamente. 

Dentre os candidatos a prefeito da Capital, os únicos que fizeram doação própria foram Aécio e Grando.

O candidato do PSL doou R$ 5 mil para sua própria campanha, enquanto Grando desembolsou R$ 3 mil. 

O vereador Abílio Carvalho (Podemos), por sua vez, não registrou nenhuma doação de partido político.

O candidato já acumula uma receita de R$ 118,9 mil, em razão de doações feitas por pessoas físicas.


Comentários







Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site. Clique aqui para denunciar um comentário.




ENQUETE
Você acha que o Cuiabá Esporte Clube tem chance de acesso à Série A do Brasileirão?
Sim
Não
Ainda falta estrutura
Precisa investir no elenco
PARCIAL