NA HORA
O jornal de Mato Grosso Facebook twitter youtube

Cuiabá MT, Segunda-feira, 03 de Agosto de 2020
POLÍCIA
Quarta-feira, 14 de Março de 2018, 01h:51

RESPOSTA AO CV

Taques diz que Estado não é o Rio

O governador Pedro Taques (PSDB) afirmou ontem (13) que facções criminosas “não têm vez” em Mato Grosso. A declaração é em resposta a um vídeo que viralizou nas redes sociais, em que um grupo de alunos de uma escola no CPA 3 é repreendido por supostos membros da facção Comando Vermelho. Em sua fala, o governador fez questão de citar que Mato Grosso não é igual ao Rio de Janeiro, referindo-se à alta criminalidade no Estado, cuja Segurança está sob intervenção federal. “Eu quero dizer de uma forma objetiva: Mato Grosso não é o Rio de Janeiro. Aqui facções criminosas não têm vez”, disse Pedro Taques. De acordo com o governador, a Secretaria de Estado e Segurança Pública (Sesp) está analisando a veracidade das imagens e, em seguida, tomará as providências. O caso aconteceu Centro de Educação de Jovens e Adultos (Ceja) Prof. Almira de Amorim Silva, no CPA 3. Nas imagens, os alunos estão todos de joelhos, na quadra poliesportiva na unidade escolar, enquanto homens fazem ameaças, reprimindo-os por estarem fumando na unidade. Os supostos integrantes da facção, que não aparecem no vídeo, ainda alertam que é melhor eles repreendê-los do que a Polícia Militar. “Cês tão atrasando nosso corre, os cara tão ligando lá no CPA pra dar parte de vocês. É melhor ‘nós vir’ do que os homens vir e prender vocês tudinho de suas casas [sic]”, diz um deles. Em seguida a segunda pessoa ainda afirma que a diretora e o guarda da escola estão os apoiando e que a Polícia não irá ajudá-los. “’Nós’ tá dando um alerta pra vocês. E é a diretora que tá com nós, entendeu o guardinha? Nós estamos avisando que não pode. Na segunda que nós pegar vocês, vamos quebrar tudo no pau. E se tiver irmão envolvido [membro do CV] no meio, nós vai arrumar uma disciplina grande também. Hoje em dia Polícia não resolve mais nada, quem resolve é o Comando, vocês estão ouvindo, né?”, afirmou. A dupla ainda ameaça os garotos, caso eles denunciem a repreensão para alguém. “Nós é do Comando Vermelho MT, e se vocês fumar, ou ‘caguetar’ ou contar para família, cês tão no pau. O meu sangue até ferve de ter que largar as coisas lá em casa pra ter que vir aqui resolver ‘esse trem’ que já foi ‘passado a visão’ pra não estar fumando. Vocês já sabem: se pegar ‘cês’ na rua fumando o bagulho vamo quebrar vocês no pau. Vou passar no carro e vou dar tiro só de pistola”, eles falam. Por fim, os homens ainda falam que, a partir de agora, eles irão até a escola todos os dias, de manhã, tarde e noite. “Nós vai vir todo dia cedo tarde e noite, entendeu? Pode espalhar essa voz. Aqui estuda criança especial, filho de preso”. Após tomar conhecimento do vídeo, o Grupo de Combate ao Crime Organizado (GCCO) foi até a escola e fez uma varredura para tentar identificar os envolvidos. No entanto, ninguém quis falar nada. Em nota a Secretaria de Educação, Esporte e Lazer (Seduc) informou que na segunda-feira uma equipe da Secretaria se reuniu com a gestão da escola e com investigadores da Gerência de Combate ao Crime Organizado (GCCO) da Polícia Judiciária Civil – que atendeu a uma denúncia de notícia-crime. Foi registrado um boletim de ocorrência e iniciado as investigações sobre o caso, a fim de identificar os envolvidos e se os jovens que aparecem na gravação são, realmente, alunos da instituição.

Comentários







Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site. Clique aqui para denunciar um comentário.




ENQUETE
Como você vê as acusações entre Mauro Mendes e Emanuel Pinheiro sobre o caos na pandemia?
O governador é o culpado
O prefeito da Capital também tem culpa
Essa briga prejudica as ações de combate à Covid-19
É uma disputa político-eleitoral
PARCIAL