NA HORA
O jornal de Mato Grosso Facebook twitter youtube

Cuiabá MT, Quarta-feira, 12 de Agosto de 2020
POLÍCIA
Quarta-feira, 29 de Julho de 2020, 14h:15

CONFRONTO NA MADRUGADA

Quadrilha morta pelo Bope usava rádios para monitorar a Polícia

Rapaz de 24 anos roubou pistola do pai militar; soldado estava afastado da PM em folga regulamentar

TÉO GOMES
Da Reportagem
PMMT/Reprodução
Leonardo e Oacy (destaque) foram mortos em confronto com equipes do Bope, na manhã desta quarta-feira, em Cuiabá

As polícias Civil e Militar estão monitorando, dia e noite, bandos e quadrilhas envolvidos em crimes de tráfico de drogas e grandes roubos.

Os monitoramentos são acompanhados por Serviços de inteligência das duas polícias.

Os seis bandidos mortos na madrugada desta quarta-feira (29), em um confronto com uma equipe do Batalhão de Operações Especiais (Bope), segundo a reportagem do DIÁRIO apurou, estavam usando máscaras.

Dois deles - o soldado PM Oacy da Silva Taques, de 30 anos, e Leonardo Moraes, de 24 anos, filho de um sargento PM - eram bastantes conhecidos e também usavam clandestinamente rádios comunicadores ligados na frequência das duas polícias.

O alvo da quadrilha era o condomínio de luxo Belvedere, quando foi interceptada na região do bairro Itamaraty.

A Secretaria Estadual de Segurança Pública (Sesp) mantém em sigilo parte das informações e não fala sobre o assunto monitoramento, mas também não nega.

O órgão dispõe de uma Central de Câmeras para monitoramento durante  24 horas.

Esses monitores acompanham a movimentação de pessoas em toda a Grande Cuiabá, e parte das rodovias estaduais e federais de Mato Grosso.

ARRASTÃO - Os ladrões monitoravam as ações da Polícia, mas não sabiam que também eram monitorados.

Por isso, foram surpreendidos antes do assalto.

Segundo as informações, a intenção deles era render os seguranças do Belvedere e fazerem um "arrastão" nas casas, todas de classe média alta.

RELATO - Em nota divulgada na tarde desta quarta-feira, por meio da assessoria de imprensa, a Polícia Militar informou que o confronto com equipes do Bope ocorreu por volta de 5h, em uma estrada vicinal do bairro Itamatary, em Cuiabá.

Segundo a PM, a ação era decorrente de uma denúncia sobre dois veículos, um Uno e um Corolla, este último com vidros blindados, nos quais estariam homens fortemente armados e com planos de praticar crimes.

As equipes do Bope faziam diligências na tentativa de localizar os veículos apontados na denúncia, quando depararam com eles.

Os ocupantes reagiram à abordagem policial disparando contra os policiais, que reagiram atirando.

Após o confronto os policiais encontraram cinco suspeitos mortos nos veículos.

Minutos depois, em uma área de mata perto dos carros, foi encontrado o sexto suspeito, também morto.

Com os suspeitos, conforme a nota, foram encontrados seis armas de fogo, sendo três pistolas, três revólveres, além de três rádios HT, que seriam para monitorar a freqüência da polícia, além de um colete balístico.

A apuração indicou que o veículo Uno era alugado. Outras informações estão sendo levantadas pela Polícia Judiciária Civil.

A Polícia Militar também confirmou que um dos suspeitos mortos é o soldado Taques (Oacy da Silva Taques Neto), 30 anos, que ingressou na PMMT em 2011.

Esse policial estava afastado das funções, em licença regulamentar.

Um outro morto no confronto foi identificado como Leonardo Vinícius Pereira de Moraes, 24 anos, é filho de um sargento PM, que, nas primeira horas da manhã de hoje, registrou Boletim de Ocorrência (BO) narrando que, ao acordar, sua arma de trabalho, uma pistola .40, da PMMT, havia desaparecido, possivelmente levada por seu filho, com o qual não conseguiu fazer contato.

A Polícia Militar informiu ainda que toda a ação policial, o confronto, a participação do soldado Taques e o sumiço da arma do sargento serão objetos de procedimentos investigatórios na Corregedoria Geral da PMMT.

Leia mais sobre o assunto:

Confronto com equipe do Bope deixa 6 bandidos mortos em Cuiabá


1 COMENTÁRIO:







Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site. Clique aqui para denunciar um comentário.

Veríssimo Lemes do Nascimento  01-08-2020 12:44:53
Os heróis do Bope, que cancelou o CPF do seis raças infames, deveriam receber honras, dignos de muitos aplausos, o Sd PM, Taques, disse que amava o filho, ele é um mentiroso, se amasse de verdade, não iria fazer coisas errados. Ainda bem bem que não dei certo pra esses desprezíveis animais irracional, porque se desse certos pra eles, outras pessoas iriam morrer. pra esses canalhas, a Lei do retorno, antecipou, fez com que o feitiço, virou contra os feiticeiros, ainda bem que nossa gloriosa polícia militar formado na maioria de agente com suas honras sagradas, comprometidos com o bem da sociedades, deixo minha admiração e meu elogios.

Responder

0
0



ENQUETE
O Brasil já ultrapassou as 100 mil mortes pela Covid-19. Para você, quem tem culpa?
O presidente Jair Bolsonaro
Os governadores
Os prefeitos
Ninguém. A doença é incontrolável
PARCIAL