Terça feira, 25 de setembro de 2018 Edição nº 15053 01/09/2018  












ELEIÇÕES 2018
DINALTE MIRANDA/DC
“Nós do PSOL não governamos sozinho. Governamos com uma grande aliança popular”
Moisés Franz questiona o agronegócio


Se há oito meses a alguém fosse perguntado quem seria o próximo governador de Mato Grosso, o questionado diria – sem prevalência na citação - Jayme, Taques, Pivetta, Wellington, Mauro, Procurador Mauro, Ságuas, Sachetti, Blairo, Leitão. Porém, o nome Moisés Franz não seria lembrado, pois sequer seu partido, o PSOL, aventava a possibilidade de sua candidatura, já que a bola da vez naquela sigla é o Procurador Mauro. Nas voltas que somente a política sabe dar, Franz entrou na disputa apesar de ser desconhecido na terra que pretende governar. Mas, afinal, quem é ele? ‘Cuiabanense’ – mistura de cuiabana com catarinense – nascido em Poá (SP), uma das menores cidades do Brasil, ele é um dos filhos da miscigenação entre mato-grossenses natos e as levas de migrantes que batiam às portas do gigantesco Estado que se estendia do Amazonas ao Paraná, em busca de oportunidade. Seu pai, Paulo Franz, funcionário da Companhia Cervejaria Cuiabana, que envasava Brahma Chopp, veio para Cuiabá trabalhar na fabricação daquela cerveja. Aqui, conheceu Almira Angelina. Os dois se apaixonaram sob o luar da capital que ensaiava os primeiros passos para trocar o provincianismo pela moderna metrópole de agora, com mais de 600 mil habitantes. O casal mudou-se para o interior paulista, onde Franz nasceu. Sua mãe morrendo de saudade do universo cuiabano determinou: vamos voltar. Ele aos 9 anos chegou e não quer sair nunca mais. De família humilde, passou a infância e juventude no bairro da Lixeira, onde continua sendo reconhecido por seus laços de família, “é neto de dona Bugrinha”. Aluno da rede pública, estudou na Escola Presidente Médici, no bairro Araés. Bancário. Tecnólogo de Desenvolvimento de WEB e designer, com pós-graduação em Segurança da Informação, em 1988 foi admitido no extinto Centro de Processamento de Dados do Estado de Mato Grosso (Cepromat), agora MTI, por uma seleção externa com mais de 1.500 concorrentes. Sindicalista, atuou no Sindicato dos Trabalhadores em Empresas e Órgãos Públicos de Informática (Sindpd). Tem um casal de filhos cuiabanos, ambos universitários. Seu vice e correligionário é o cuiabano Vanderley da Guia, o Enfermeiro Vanderley Guia, que foi candidato a deputado federal em 2014 recebendo 1.425 votos, e concorreu a vereador por Cuiabá em 2016 cravando 261 votos. No palanque pela primeira vez, aos 52 anos, com uma casa e um veículo que somam R$ 77.500, contando somente com o pequeno Fundo Partidário para a campanha e dispondo de apenas 15 segundo no horário eleitoral, Franz demonstra otimismo. Acredita que o grande aliado de sua mensagem será o eleitor, com o qual espera derrotar o baronato da soja e assumir o Palácio Paiaguás. Leia mais...
PROPAGANDA ELEITORAL
· Taques pede reflexão, adversários atacam

PROPAGANDA ELEITORAL
· Jayme lembra que criou Unemat e Maggi pede voto para Sachetti

INDEPENDENTE
· Selma não dividirá mais palanque com Taques e Nilson

19:26 Jayme lembra que criou Unemat e Maggi pede voto para Sachetti
19:26 Selma não dividirá mais palanque com Taques e Nilson
19:26 Taques pede reflexão, adversários atacam
19:25 Moisés Franz questiona o agronegócio
19:24 Metade da verba depende de aprovação do Congresso


19:24 BOA DISSONANTE
19:23 PIB cresce 0,2%; indústria cai 0,6%
19:23 Temer recua e adia reajuste para 2020
19:22 'Bolsonaro tem o hábito de agredir e ofender mulheres'
19:22 TSE rejeita contestação e aprova registro
Cuiabá
Min: 18°
Max: 36°
TOPO | PRIMEIRA PÁGINA | ÚLTIMAS NOTÍCIAS | POLÍTICA | ECONOMIA | CIDADES | POLÍCIA | ESPORTES
BRASIL | MUNDO | DC ILUSTRADO | CUIABÁ URGENTE | EDITORIAIS | ARTIGOS | AZUL | TEVÊ | E-MAIL
Diário de Cuiabá © 2018