Diario de Cuiabá

Domingo, 18 de Outubro de 2020, 00h:09

Pandemia desafia brasileiro a repetir temporada artilheira na Itália

BRUNO RODRIGUES
Folhapress - São Paulo

Foram 18 gols com a camisa do Cagliari (ITA) na última Serie A italiana, o brasileiro com a melhor marca artilheira das cinco principais ligas europeias.
João Pedro, 28, reconhece que esperava estar atuando por um clube maior depois de uma boa temporada individual na Itália. Contudo, ao mesmo tempo em que o jogador se valorizou, o mercado do futebol foi profundamente afetado pela pandemia, que diminuiu a capacidade financeira dos clubes na hora de contratar reforços.
"Eu até brinco com os amigos e com a minha família que quando eu consegui estourar e fazer uma temporada incrível, foi no pior momento possível. Provavelmente, com essa temporada em uma situação normal, poderiam ter acontecido outras coisas. Mas faz parte do jogo", diz o meia-atacante, que iniciou uma nova temporada pelo Cagliari, sua sétima na equipe, à reportagem.
Revelado em 2010 pelo Atlético-MG, foi apenas aos 28 anos que João Pedro estourou, termo que ele mesmo utiliza para classificar sua participação na última edição do Campeonato Italiano.
A evolução de seu futebol veio após incorporar diferentes experiências e conhecimentos até chegar mais maduro ao Cagliari.
Na trajetória do atleta estão passagens por Palermo (ITA), Vitória de Guimarães (POR) e pelo Santos, onde atuou ao lado de Neymar, em 2012. Mas foi uma oportunidade no futebol uruguaio, no semestre anterior à sua chegada na Vila Belmiro, que lhe deu confiança e o tornou mais mais seguro de suas próprias condições.
"Foi sensacional jogar a Libertadores, é um campeonato incrível, e jogar pelo Peñarol foi mais incrível ainda. É um clube gigante. Segui um conselho do meu pai que era o de aprender o máximo possível de todos esses momentos, jogando ou não. Isso me ajudou muito ao voltar para a Itália. Tem jogadores novos que vêm de outros campeonatos, mas sofrem muito porque a parte tática é muito forte", afirma.
Em seu retorno ao continente europeu, o então meio-campista se destacou pelo Estoril (POR). Na temporada 2013/2014, o time disputou a Europa League e João Pedro anotou oito gols (além de três assistências) na liga portuguesa, ajudando o clube a alcançar um quarto lugar.
O destaque no futebol de Portugal chamou a atenção do Cagliari, que o contratou para a temporada 2014/2015.
De volta à Itália, o mineiro de Ipatinga teve a sequência desejada na elite da Europa. Em duas oportunidades, terminou o campeonato com sete gols e três assistências, quase sempre atuando como meia, sua posição de origem quando surgiu no Atlético-MG.
Na temporada passada, porém, João Pedro atuou mais adiantado. A lesão grave do atacante Leonardo Pavoletti, que perdeu toda a competição por uma ruptura de ligamento do joelho esquerdo, deixou o brasileiro mais perto do gol.
Além de aproveitar o jogo mais direto da equipe, com bolas longas para a velocidade dos homens de frente e poucos toques até chegar na meta adversária, João Pedro se adaptou rapidamente à função de atacante, mostrando características de legítimo centroavante.
Dos 18 gols que anotou na Serie A, 17 foram dentro da área, quatro deles de cabeça. Ele foi também o responsável pelos pênaltis da equipe na temporada -três de seus gols vieram em penalidades.
A pandemia, contudo, parou o Campeonato Italiano em março deste ano e parece ter freado a boa sequência que o jogador havia mostrado na primeira metade da liga. Após a retomada, em junho, o brasileiro marcou apenas duas vezes em 11 partidas.
Com 58 gols pelo Cagliari desde 2014, João Pedro é o sexto maior artilheiro da história do time da Sardenha e se sente em casa no clube. Adaptado à liga, sua esposa e os dois filhos são italianos.
Agora, desafiado a repetir o rendimento goleador de 2019/2020 e com uma meta pessoal a cumprir, o jogador começou a temporada com um gol e uma assistência em três partidas. É o reiníclo de um ciclo que pode fazê-lo estourar de novo, e quem sabe dar o salto que o mercado, afetado pela crise, não lhe proporcionou.
"Eu fiquei muito sentido por não ter conseguido chegar a 20 gols. Me custou muito chegar ao número da temporada passada, mas deu aquele gostinho de que é possível. Quando se trabalha bem, tudo é possível. Estou com muito mais vontade, muito mais convencido do que eu posso fazer, muito mais confiante. Nesta temporada quero continuar o que fiz na temporada passada", completa João Pedro.


Fonte: Diario de Cuiabá

Visite o website: www.diariodecuiaba.com.br