Diario de Cuiabá

Quarta-feira, 29 de Agosto de 2018, 17h:52

Especialistas dão dicas da hora certa para comer

PHILLIPPE WATANABE
Especial para o DIÁRIO

Lembra da dica da vovó para sempre tomar um café da manhã reforçado? Ela estava certa e isso pode até ajudar na manutenção e perda de peso. "O café da manhã, ou desjejum, é a principal refeição do dia", afirma Sonia Trecco, nutricionista-chefe do serviço ambulatorial do Hospital das Clínicas da USP. A importância se dá por ela ocorrer logo após um longo período de jejum - a noite anterior, caso não tenha havido nenhum assalto à geladeira (evite isso). E o hábito de acordar de supetão, trocar de roupa rápido e sair correndo de casa para o trabalho ou para a academia? Também é melhor evitar. Segundo Trecco, há dois riscos principais associados a pular o café. O primeiro está ligado a possíveis episódios de hipoglicemia, que podem levar até mesmo a desmaios. Outro perigo é a fome levar a consumir um alimento qualquer na rua -o risco de a escolha não ser saudável é imenso. A nutricionista afirma que cafés da manhã com leite e seus derivados -pelo menos para quem não tem intolerância-, pão e frutas é o recomendado. "Não pule o café da manhã", reforça Trecco. E quanto ao horário das outras refeições, existe uma recomendação? "Ao longo do dia nosso metabolismo se torna mais lento", afirma Érika Suiter, coordenadora do serviço de alimentação do Hospital Sírio-Libanês. Isso indica que grandes refeições à noite, quando o dispêndio energético se aproxima de um mínimo, podem dificultar a manutenção ou a perda de peso, considerando que a energia não gasta se tornará reserva. Trocando em miúdos, o que o metabolismo faz nessas circunstâncias é transformar comida em estoque energético –gordura–, já que a energia ali contida não se faz necessária naquele instante. Além do café reforçado, as nutricionistas indicam que as pessoas façam refeições fracionadas e evitem grandes intervalos de tempo sem comer: o ideal é se alimentar a cada duas ou três horas. "É melhor dar preferência para carboidratos com fibras –produtos integrais– ou frutas, que contribuem para o funcionamento intestinal", diz Érika Suiter. Além do horário, também deve-se prestar atenção em como comemos. Consumir os alimentos devagar, em um ambiente tranquilo, ajuda a manter uma alimentação saudável, pensando que a digestão começa na boca, diz Érika Suiter.

Fonte: Diario de Cuiabá

Visite o website: www.diariodecuiaba.com.br