Diario de Cuiabá

Terça-feira, 13 de Março de 2018, 08h:44

Campanha beneficiará estudantes

Um total de 330,2 mil alunos de 5 a 14 anos de idade, matriculados no ensino fundamental de 1.110 escolas públicas, deverá ser beneficiado com a busca ativa para diagnóstico e tratamento de casos de hanseníase, de tracoma e de esquistossomose, em Mato Grosso. Os estudantes também receberão tratamento contra verminoses. A iniciativa promovida pelo Ministério da Saúde (MS), Estados e municípios faz parte da “V Campanha Nacional de Hanseníase, Verminoses, Tracoma e Esquistossomose”para diagnóstico de doenças que possuem tratamento gratuito no Sistema Único de Saúde (SUS) e contempla 101 municípios do estado. Do total de municípios que aderiram à campanha, 2.615 (95,4%) são considerados prioritários, devido à vulnerabilidade social e ao risco de adoecimento da população por essas doenças. Dentre os quais 69, são de Mato Grosso, onde as primeiras atividades começaram, ontem, pelas escolas estaduais Professor Jercy Jacob e Honorato Pedroso de Barros, ambas localizadas em Várzea Grande. De acordo com o Ministério da Saúde, A estratégia, cujo slogan é “Hanseníase, Verminoses e Tracoma – em casa ou na escola, sempre é hora de prevenir e tratar”,ocorrerá em 40 mil escolas públicas de 2,7 mil municípios brasileiros que aderiram à ação e envolverá mais de oito milhões de alunos. As atividades serão realizadas até o dia 30 de junho. Com ações específicas para cada uma das doenças, a campanha envolve profissionais da educação e os que atuam no SUS, em especial os profissionais da Estratégia de Saúde da Família (ESF), das Unidades Básicas de Saúde e da Vigilância Epidemiológica dos municípios. Todos os municípios prioritários juntos receberam do Ministério da Saúde mais de R$ 16,5 milhões para a realização das ações propostas. Outros 127 municípios participarão voluntariamente da Campanha. Todos recebem do Ministério da Saúde apoio técnico e os medicamentos necessários para a execução da Campanha. A mobilização nacional segue até o próximo dia 9 de março. Para a coordenadora, a ação no ambiente escolar potencializa os resultados dessa intervenção. “Vamos ao encontro dos alunos que estão num local que é familiar para eles, facilitando a abordagem para realizar ações educativas e identificando precocemente essas doenças”, explica Carmelita Filha. Na campanha anterior, que aconteceu em 2016 e 2017, houve a participação de 2.409 municípios. Ao todo, seis milhões de escolares receberam a ficha de autoimagem, 157 tiveram diagnósticos de hanseníase confirmados, além de 23 casos diagnosticados entre os contatos. Cerca de 4,9 milhões de escolares receberam a profilaxia para verminoses, 22.084 casos foram confirmados como positivos para tracoma e 381 para esquistossomose.

Fonte: Diario de Cuiabá

Visite o website: www.diariodecuiaba.com.br