Diario de Cuiabá

Segunda-feira, 12 de Junho de 2017, 19h:51

Plano de Metas não está pronto

JOANICE DE DEUS
Da Reportagem

Em 30 dias, vence o prazo dado pelo Tribunal de Contas do Estado (TCE) para que a Prefeitura de Cuiabá apresente um plano de metas e de ação estabelecendo melhorias no sistema de transporte coletivo da cidade. Uma auditoria feita ano passado pelo TCE apontou que o serviço apresenta inúmeras falhas e deficiências, como a falta e de manutenção dos abrigos, falta de ar condicionado nos ônibus e idade da frota acima do estabelecido. O transporte coletivo público foi discutido em audiência, na sexta-feira, na Câmara de Vereadores. O encontro foi convocado pela bancada do Partido Progressista (PP). “Um problema grave são os pontos. Por ano, deveriam ser construídas 25 paradas, mas há uma deficiência de 1.000 abrigos na cidade”, informou o presidente do TCE, conselheiro Antonio Joaquim. Atualmente, a idade média dos veículos é de 6 anos, sendo que no contrato o previsto é de 4,5 anos. Segundo ele, outra grande reclamação dos usuários é o tempo de espera dos coletivos. “O passageiro espera de 30 a 40 minutos nos pontos de parada, o que é um infringência do contrato”, citou. Diante do descumprimento do contrato, Antonio Joaquim aponta ainda que de mais de R$ 2 milhões em multas aplicadas, apenas 0,5% foram pagas ao município, o que corresponderia a cerca de R$ 30 mil. O secretário municipal de Mobilidade Urbana (Semob), Antenor Figueiredo, garantiu que o município trabalha na elaboração do plano solicitado pelo TCE e que o prazo estabelecido deverá ser cumprido. “Sabemos que o sistema está defasado, mas estamos terminando o estudo. Nós já estamos preparando um novo modelo de transporte, um novo modelo de licitação, o que é promessa de campanha do prefeito Emanuel Pinheiro”, afirmou. Já o presidente da Associação Mato-grossense dos Transportadores Urbanos (AMTU), Ricardo Caixeta, também garantiu que as empresas (Norte Sul, Pantanal, Integral, na capital, e União Transportes, em Várzea Grande), vêm investindo no sistema. “Ano passado 60 ônibus zero foram colocados na frota e, para esse segundo semestre, novos veículos (50) serão disponibilizados aos usuários”, afiançou. O prefeito Emanuel Pinheiro suspendeu por 120 dias o processo de licitação do transporte coletivo da capital. Mas o vereador Diego Guimarães (PP) entende que não há razão para o Executivo suspender a licitação do serviço.

Fonte: Diario de Cuiabá

Visite o website: www.diariodecuiaba.com.br