NA HORA
O jornal de Mato Grosso Facebook twitter youtube

Cuiabá MT, Sábado, 19 de Setembro de 2020
ESPORTES
Terça-feira, 04 de Agosto de 2020, 09h:51

SASHA

Justiça nega tutela de urgência para rescisão de Sasha com o Santos

Da Folhapress - São Paulo
Sasha

Eduardo Sasha teve mais uma derrota na briga judicial para encerrar seu contrato com o Santos de forma unilateral. A nova juíza do caso indeferiu pedido de rompimento do atleta e marcou audiência para 18 de agosto, às 11h. O atacante de 28 anos segue, portanto, vinculado ao clube paulista.
Em sua decisão, a juíza Norma Gabriela Oliveira dos Santos Moura afirmou acreditar que não há no processo a "demonstração da existência de qualquer limite temporal" para que Sasha assine com outro clube, argumento que baseou o pedido do atleta de urgência na rescisão contratual.
O atacante já havia vencido o Santos na Justiça e obtido, em caráter liiminar, a rescisão contratual, mas o juiz que havia julgado o caso se "declarou suspeito" e revogou a decisão. Isso ocorreu após o UOL Esporte revelar fotos do magistrado com a camisa do Atlético-MG, principal interessado na contratação de Sasha.
O jogador pede rescisão contratual diante de atraso no recolhimento do FGTS, atraso no pagamento de direitos de imagem desde novembro do ano passado e corte salarial de 70% sem acordo assinado com o elenco santista.
O Santos se defende negando o corte e falando em "retenção emergencial com garantia de devolução". O clube contextualiza ao lembrar da situação de pandemia da Covid-19 e afirma que a decisão teve por objetivo não demitir nenhum funcionário durante o período, o que foi cumprido pela equipe.


Comentários







Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site. Clique aqui para denunciar um comentário.




ENQUETE
MT terá eleições simultâneas para vereador, prefeito e senador? Você já escolheu seus candidatos?
Sim
Não
Vou anular os votos
Nenhum dos candidatos presta
PARCIAL