NA HORA
O jornal de Mato Grosso Facebook twitter youtube

Cuiabá MT, Sexta-feira, 07 de Agosto de 2020
ESPORTES
Terça-feira, 26 de Junho de 2018, 19h:01

BRASIL X SÉRVIA

Empate garante classificação do Brasil

Após testes, Tite mantém time com quarteto ofensivo contra a Sérvia

CAMILA MATTOSO, DIEGO GARCIA E SÉRGIO RANGEL
Da Folhapress – Moscou
O técnico Tite irá manter para o confronto contra a Sérvia, hoje às 14h, a mesma equipe que iniciou o jogo contra Costa Rica. Portanto, a formação titular será: Alisson, Fagner, Thiago Silva, Miranda e Marcelo; Casemiro; Willian, Paulinho, Philippe Coutinho e Neymar; Gabriel Jesus. Na segunda-feira (25), o treinador chegou a ensaiar o time com Fernandinho no lugar de Gabriel Jesus. O jogo decide o futuro do Brasil na Copa do Mundo. A seleção lidera o Grupo E, com quatro pontos. A Suíça tem o mesmo número de pontos, mas com um gol a menos. A Sérvia soma três pontos. Falando em terceira pessoa e sem ser perguntado, o técnico Tite contou em entrevista coletiva nesta terça-feira (26) que chorou na sua estreia no comando da seleção, contra o Equador, em setembro de 2016, fazendo referência ao choro de Neymar após a vitória contra a Costa Rica nos acréscimos, na semana passada. O treinador, também defendeu que foi pênalti no atacante, anulado pelo VAR, e avisou que não é dele a responsabilidade de tudo que acontece. "Quero colocar para toda a nação brasileira. Estou em um posto, não sou... No primeiro jogo contra o Equador, o Tite chorou. O Tite chorou. Quando liguei para minha esposa, chorei de alegria, de satisfação, porque é nossa característica emocional. Chorei de prazer, de orgulho, de um momento de tanta pressão fazer um grande jogo. Tenho muito cuidado em fazer associações, só estou mostrando o outro lado. Entende que razão e emoção têm que estar equilibradas, e que há o momento do gelo, da calma, da lucidez", disse o técnico. Logo depois, Tite foi perguntado por um jornalista russo sobre um comentário do ex-jogador e técnico Fabio Capello, atualmente comentarista de uma televisão. Segundo o repórter, o italiano teria dito que Neymar é um simulador. "Capelo, de técnico para técnico, foi pênalti", disse o treinador, olhando para as câmeras. Quando foi questionado sobre a forma física do camisa 10, mais uma vez fez elogios e até aproveitou para mandar recado. Não sem antes tentar se isentar de seus discursos em favor do atacante: "Não vim aqui para defender ninguém". "O Neymar só está nesse estágio de recuperação porque é bem dotado fisicamente, fora dos padrões normais. Caso contrário, não estaria. Se pegarem o mapa de calor contra a Suíça, é um. Contra a Costa Rica, tanto as jogadas de flanco, quanto por dentro, aumentou consideravelmente". "Talvez mais um jogo ele esteja em sua plenitude. Não é dada a ele responsabilidade excessiva em cima de sucesso e insucesso. Cada um de nós tem sua responsabilidade, o conjunto resolve", completou. CAPITÃO - O Brasil entrará em campo hoje contra a Sérvia já sabendo dos resultados do Grupo F, cuja definição se dará mais cedo. É desta chave que sai o adversário da seleção nas oitavas de final (caso esta confirme sua classificação). No grupo F está a Alemanha, algoz do país no último Mundial. Escolhido para ser capitão na partida, Miranda prometeu, entretanto, que a seleção não "escolherá" adversário. "Primeiramente, seleção brasileira não pode escolher adversário. A gente joga para ser primeiro, vamos crescer ainda mais. Temos jogadores de alta qualidade, chegamos bem para o jogo e vamos buscar a vitória", disse. Será a quarta vez que o atleta vai usar a braçadeira com o técnico Tite no comando. Isso o tornará quem mais vezes foi capitão sob o comando do treinador, junto com Daniel Alves. O Brasil precisa ao menos empatar com a Sérvia para se classificar à fase mata-mata do Mundial.

Comentários







Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site. Clique aqui para denunciar um comentário.




ENQUETE
Como você vê as acusações entre Mauro Mendes e Emanuel Pinheiro sobre o caos na pandemia?
O governador é o culpado
O prefeito da Capital também tem culpa
Essa briga prejudica as ações de combate à Covid-19
É uma disputa político-eleitoral
PARCIAL