NA HORA
O jornal de Mato Grosso Facebook twitter youtube

Cuiabá MT, Quarta-feira, 12 de Agosto de 2020
ESPORTES
Domingo, 02 de Agosto de 2020, 15h:38

F1-AUTOMOBILISMO

Comissários da F1 vão analisar na quarta reclamação da Renault contra Racing Point

Da Folhapress - São Paulo

Uma reunião de comissários encarregados de examinar a reclamação da Renault F1 contra o rival Racing Point será realizada na quarta-feira, de acordo com fontes presentes no Grande Prêmio da Inglaterra neste domingo.

Segundo as fontes, caso uma decisão seja tomada neste encontro, ela só será anunciada oficialmente sete dias depois.

 

A Renault apresentou uma queixa à Federação Internacional de Automobilismo (FIA) contra vários elementos do carro Racing Point deste ano, alegando que eles foram plagiados do monoplaza da Mercedes que venceu o campeonato do ano passado.

Apelidados de 'Mercedes rosa' (por causa da cor de seu patrocinador), os carros da Racing Points mostram uma evidente semelhança com os da Mercedes, e seus resultados desde o início da temporada melhoraram consideravelmente.

Depois do Grande Prêmio da Estíria, em 12 de julho, e da Hungria, em 19 de julho, a Renault registrou reclamações contra a Racing Point, especificamente em relação ao sistema de refrigeração dos freios dianteiro e traseiro usados pela equipe britânica.

A equipe francesa também considera que houve trocas de dados e design entre a Mercedes e o Racing Point.

Com a mudança nos regulamentos, o Racing Point não tem mais o direito de utilizar informações de outras equipes para desenvolver suas próprias peças.

Tanto o Racing Point quanto a Renault podem recorrer da decisão tomada pelos administradores técnicos da FIA.


Comentários







Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site. Clique aqui para denunciar um comentário.




ENQUETE
O Brasil já ultrapassou as 100 mil mortes pela Covid-19. Para você, quem tem culpa?
O presidente Jair Bolsonaro
Os governadores
Os prefeitos
Ninguém. A doença é incontrolável
PARCIAL