Preparativos incluem eventos que resgatam atos tradicionais

“União de Credos e Raças” é o tema da festa de São Benedito deste ano. Antes da festa principal, os organizadores querem promover eventos que resgatam os atos mais tradicionais das homenagens ao santo negro.

Para começar, informa o advogado Alfredo Ferreira da Silva, festeiro-rei de 2000, acontece no próximo dia 16 o “I Encontro dos Ex-festeiros de São Benedito”.

No início do mês de maio, deve acontecer um encontro de fiéis no largo da praça da “Feirinha da Mandioca” (final da rua Pedro Celestino) no local onde foi erguida a primeira capela do santo, com encenação da vida do santo e seresta.

Na abertura oficial, dia 30 de maio, para levar o mastro com a bandeira de São Benedito, a comissão organizadora fará uma festa no largo da igreja com baile, jantar com cardápio típico e apresentações folclóricas e artísticas.

No dia seguinte começa a peregrinação da imagem do santo pelas igrejas das 30 comunidades que integram a “Paróquia do Rosário e São Benedito”. Enquanto isso, grupos de devotos esmolam com a bandeira do santo nas residências, comércios e indústrias das ruas mais centrais de Cuiabá. (AA)




COMIDA - A saborosa mistura de peixe e mandioca
BEBIDA - Dá energia, tira fome e prolonga vida
Lenda diz que planta nasceu após morte de Cereçaporanga
RUA - Marcos da história e do dia-a-dia
PERSONALIDADE - Do sacerdócio para o colunismo social
ESTILO DE MÚSICA - Rasqueado selou paz entre países
BAIRRO - Moradores do Porto cultivam nostalgia
Lei que criou bairro desobedeceu a tradição
FESTA - São Benedito é a festa preferida
Preparativos incluem eventos que resgatam atos tradicionais
SANTO DE DEVOÇÃO - São Benedito, o protetor da cidade
Devoção ao santo atravessa gerações inteiras
LUGAR - Mercado renasce como cartão postal
ESPORTISTA - Jorilda Sabino, a “Cinderela Negra”, sente saudades
TIME DE FUTEBOL - O Feminino extrapolou e virou Mixto
Filha do zelador do Dutrinha, Nhá Barbina tomou gosto pelo futebol
Time que esteve entre os melhores do Brasil hoje vive a decadência
ARTISTA - Nem morte faz Cuiabá esquecer Liu