FESTA - São Benedito é a festa preferida


A festa de São Benedito é a mais longa do Estado. Dura em média 30 dias. Começa na primeira semana de junho - com a peregrinação da bandeira nas comunidades vizinhas, jantares e reuniões em residências tradicionais - e termina no segundo domingo de julho.

Uma semana depois começa a preparação da festa do ano seguinte. O rei e a rainha, responsáveis pela organização dos festejos, são eleitos entre a “Irmandade de São Benedito” e passam a fazer promoções e buscar apoio para o custeio da festa.

Tudo é minuciosamente discutido e planejado. Desde o “chá com bolo” aos jantares oferecidos aos fiéis todas as terças-feiras após as missas da manhã e da noite. Centenas de pessoas se dividem nas tarefas de preparação.

Além do rei e da rainha, o estatuto da festa prevê a eleição de juiz e juíza de vara, juizinho e juizinha de ramalhente, capitão de mastro e alferes de bandeira. Tem, ainda, as comissões de apoio – segurança, comunicação, reza e esmola.

Oficialmente a Festa de São Benedito surgiu em 1897 a partir da criação do estatuto da “Irmandade”, aprovado pelo bispo diocesano Dom Carlos Luiz D’Amour. Na época, somente as famílias mais abastadas participavam desse grupo, pois eram elas que mantinham a igreja e a festa.

Mas foram os escravos que primeiro homenagearam o santo com festas e oferendas. Desde 1.721 os negros tinham São Benedito como símbolo de luta e fé.

A homenagem não acontece por ocasião do nascimento (05 de outubro) ou morte (quatro de abril) do santo negro. Não se sabe porque ou quem instituiu, mas o primeiro domingo de julho sempre foi o ponto alto da festa.

A partir de 1922 até por volta de 1944 a festa que até então acontecia na igreja, passou a ser realizada na casa dos festeiros ou em casarões antigos de Cuiabá.

Em 45, com a transformação da igreja de Senhora do Rosário - onde fica a imagem do santo - em “Paróquia do Rosário e de São Benedito”, o largo da igreja voltou a ser o palco da festa.

Hoje a festa é, reconhecidamente, a mais popular do Estado. Reúne mais de 10 mil pessoas por noite no pátio da igreja para celebrações religiosas, apresentações culturais e bailes durante várias noites.

A festa cresceu tanto que ano passado o coordenador Cláudio José de Assis sugeriu mudanças no regimento do evento. Onde antes aparecia no texto o compromisso de: “obrigação principal de promover o esplendor do culto ao glorioso São Benedito e a prosperidade da Irmandade”, agora aparece: “proporcionar solidariedade e compromisso com as atividades paroquiais, pautando-se pela opção preferencial aos pobres”.

Hoje, os recursos arrecadados na festa e as ofertas feitas durante o ano ajudam a igreja a manter uma escola de primeiro grau no bairro Planalto com 280 crianças; uma escola para crianças deficientes, com 40 matriculadas, e duas creches, cada uma com 75 crianças entre dois e sete anos.






COMIDA - A saborosa mistura de peixe e mandioca
BEBIDA - Dá energia, tira fome e prolonga vida
Lenda diz que planta nasceu após morte de Cereçaporanga
RUA - Marcos da história e do dia-a-dia
PERSONALIDADE - Do sacerdócio para o colunismo social
ESTILO DE MÚSICA - Rasqueado selou paz entre países
BAIRRO - Moradores do Porto cultivam nostalgia
Lei que criou bairro desobedeceu a tradição
FESTA - São Benedito é a festa preferida
Preparativos incluem eventos que resgatam atos tradicionais
SANTO DE DEVOÇÃO - São Benedito, o protetor da cidade
Devoção ao santo atravessa gerações inteiras
LUGAR - Mercado renasce como cartão postal
ESPORTISTA - Jorilda Sabino, a “Cinderela Negra”, sente saudades
TIME DE FUTEBOL - O Feminino extrapolou e virou Mixto
Filha do zelador do Dutrinha, Nhá Barbina tomou gosto pelo futebol
Time que esteve entre os melhores do Brasil hoje vive a decadência
ARTISTA - Nem morte faz Cuiabá esquecer Liu