Lenda diz que planta nasceu após morte de Cereçaporanga

Herança de vida longa e beleza, deixada por Cereçaporanga, a mais bela entre as belas, protegida da Deusa da beleza Jaci. Apesar de muito estimada pela tribo, um dia Cereçaporanga apaixonou-se por um guerreiro de uma nação inimiga e fugiu para viver com ele. Mas o casal foi alcançado pelos guerreiros que saíram no encalço de Cereçaporanga para reavê-la.

Certa de que seu amado seria trucidado pelo ultraje cometido, ela propôs-lhe um pacto de morte e suicidaram-se junto à uma árvore. Vendo-a morta, seus irmãos índios lamentaram a perda e imploraram à Deusa Jaci que não permitisse que o espírito de Cereçaporanga os abandonasse. Atendendo-os, Jaci fez nascer dos olhos da linda índia protegida, uma planta, cujos frutos amadurecidos são semelhantes a um par de olhos negros. Com essas sementes os índios teriam um alimento energizante para as suas guerras e caçadas, a beleza física de Cereçaporanga e uma vida bem mais longa do que a que ela teve.

Moral da lenda: O guaraná é a herança de vida longa e beleza deixada por Cereçaporanga. (CM)




COMIDA - A saborosa mistura de peixe e mandioca
BEBIDA - Dá energia, tira fome e prolonga vida
Lenda diz que planta nasceu após morte de Cereçaporanga
RUA - Marcos da história e do dia-a-dia
PERSONALIDADE - Do sacerdócio para o colunismo social
ESTILO DE MÚSICA - Rasqueado selou paz entre países
BAIRRO - Moradores do Porto cultivam nostalgia
Lei que criou bairro desobedeceu a tradição
FESTA - São Benedito é a festa preferida
Preparativos incluem eventos que resgatam atos tradicionais
SANTO DE DEVOÇÃO - São Benedito, o protetor da cidade
Devoção ao santo atravessa gerações inteiras
LUGAR - Mercado renasce como cartão postal
ESPORTISTA - Jorilda Sabino, a “Cinderela Negra”, sente saudades
TIME DE FUTEBOL - O Feminino extrapolou e virou Mixto
Filha do zelador do Dutrinha, Nhá Barbina tomou gosto pelo futebol
Time que esteve entre os melhores do Brasil hoje vive a decadência
ARTISTA - Nem morte faz Cuiabá esquecer Liu