NA HORA
O jornal de Mato Grosso Facebook twitter youtube

Cuiabá MT, Sexta-feira, 07 de Agosto de 2020
ECONOMIA
Terça-feira, 26 de Junho de 2018, 17h:40

PECUÁRIA

Receita deve superar saldo de 2017

A estimativa do Valor Bruto da Produção (VBP) de bovinos, em Mato Grosso, registrou alta de 3,7% com relação à receita contabilizada no ano passado, segundo dados divulgados pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa). A pecuária de corte mato-grossense deverá movimentar R$ 11,80 bilhões este ano, ante R$ 11,37 bilhões registrados ano passado. O aumento previsto para o Estado vai na contramão da estimativa nacional, que de acordo com levantamento terá queda de 0,23%, sendo registrado R$ 74,21 bilhões em 2017 e com perspectiva de R$ 74,03 bilhões para este ano. O VBP mensura a receita gerada no campo, dentro da propriedade, levando em conta o volume produzido e o preço médio do período de avaliação. Mato Grosso, detentor do maior rebanho comercial bovino do país, também registra o maior VBP da atividade, sendo responsável por 43% do VBP de bovinos do Centro-Oeste e 15% do volume nacional. “O valor bruto da pecuária de bovinos em Mato Grosso é o mais representativo de todo o país, superando estados como São Paulo, que possui mais indústrias e mercado consumidor. A atividade se consolida como uma das mais importantes para o desenvolvimento econômico regional, por movimentar economia dos municípios, e nacional, com a exportação de mais de US$ 1 bilhão só no ano passado”, destaca o diretor-executivo da Associação dos Criadores de Mato Grosso (Acrimat), Luciano Vacari. (MP)

Comentários







Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site. Clique aqui para denunciar um comentário.




ENQUETE
Como você vê as acusações entre Mauro Mendes e Emanuel Pinheiro sobre o caos na pandemia?
O governador é o culpado
O prefeito da Capital também tem culpa
Essa briga prejudica as ações de combate à Covid-19
É uma disputa político-eleitoral
PARCIAL