NA HORA
O jornal de Mato Grosso Facebook twitter youtube

Cuiabá MT, Sexta-feira, 07 de Agosto de 2020
ECONOMIA
Terça-feira, 26 de Junho de 2018, 17h:40

VAREJO

Estoques refletem greve dos caminhoneiros

O levantamento feito pela Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), em todas as capitais do Brasil, mostrou que Cuiabá está entre as 17 com estoque significativamente abaixo do considerado ideal. Em todo o país, a pesquisa mostra que, duas semanas após a crise de desabastecimento motivada pela greve dos caminhoneiros, 15,2% dos varejistas brasileiros ainda consideram que o nível dos seus estoques está aquém do adequado. Na capital do Estado, a maior parte do desabastecimento no comércio ocorreu em bens não duráveis – produtos de pouca durabilidade no consumo, como alimentos, produtos de limpeza e roupas –, onde 12,3% dos comerciantes apontaram estoque abaixo do ideal no período. Nos três meses que antecederam a greve dos caminhoneiros, o percentual atingia somente 7,7% dos comerciantes de Cuiabá. Na avaliação do presidente da Fecomércio/MT, Hermes Martins, a crise no desabastecimento foi um reflexo dos problemas econômicos decorrentes da crise política enfrentada no país. Em contrapartida, situações positivas já são observadas não só na capital, mas em todo o Estado, como a melhora na intenção do consumo das famílias e a confiança do empresário do comércio, através de pesquisas divulgadas pela Fecomércio/MT para o mês de junho. A Intenção de Consumo das Famílias (ICF) aumentou 9%, em Cuiabá, no mês de junho em relação ao mesmo período do ano passado. O ICF alcançou 76 pontos em junho de 2018 e se recupera depois de duas quedas consecutivas da pesquisa.

Comentários







Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site. Clique aqui para denunciar um comentário.




ENQUETE
Como você vê as acusações entre Mauro Mendes e Emanuel Pinheiro sobre o caos na pandemia?
O governador é o culpado
O prefeito da Capital também tem culpa
Essa briga prejudica as ações de combate à Covid-19
É uma disputa político-eleitoral
PARCIAL