NA HORA
O jornal de Mato Grosso Facebook twitter youtube

Cuiabá MT, Domingo, 12 de Julho de 2020
ECONOMIA
Terça-feira, 30 de Junho de 2020, 00h:00

MILHO

À espera da safrinha, mercado tem dias conturbados com câmbio

Da Reportagem

O mercado brasileiro de milho teve uma semana de expectativa pela evolução da colheita da safrinha, ainda em fase inicial. A oferta ainda não traz maior pressão sobre as cotações. O que confundiu o mercado e deixou as negociações conturbadas foi a volatilidade do dólar, com altos e baixos e indefinições.

A volatilidade cambial dificultou o direcionamento das cotações nos portos e também no mercado doméstico. Após recentes altas do dólar, houve sustentação nos preços nos portos e também no interior. A expectativa é pela entrada da safrinha.

Mato Grosso, maior produtor do cereal – todo ele em segunda safra – está em plena colheita, mas com os trabalhos no campo em atraso, quando comparados ao ritmo registrado em igual momento do ano passado. Dados atualizados pelo Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária (Imea) mostram que o atraso anual na colheita é de 9,26 pontos percentuais. Até a última sexta-feira, 31,56% dos mais de 5,19 milhões de hectares cultivados. Em igual momento de 2019 eram 40,82% da área colhida. Apesar da defasagem anual, a safra 2019/20 supera a média dos últimos cinco anos em 25,46%.

Vale destacar ainda, que a superfície semeada nesse ciclo é recorde para a cultura no Estado, representando expansão anual de quase 7%.

No balanço da semana, os preços no mercado disponível ficaram de estáveis a moderadamente mais altos, antes dessa pressão da oferta da segunda safra. E as negociações foram lentas, com cautela entre compradores e vendedores.

Em uma semana, do dia 18 de junho até o dia 25, no Porto de Santos, o preço recuou de R$ 49 para R$ 48 a saca.

No mercado interno, no Paraná, a cotação em Cascavel no balanço semanal subiu de R$ 44 para R$ 45 a saca na base de venda. Em São Paulo, preço na Mogiana, subiu no comparativo semanal (de 18 para 25 de junho) de R$ 47 para R$ 48. Em Campinas CIF, a cotação avançou de R$ 49 para R$ 49,50 a saca.

No Rio Grande do Sul, Erechim, o preço do milho na semana permaneceu estável no comparativo em R$ 50 a saca. Em Minas Gerais, preço avançou de R$ 45 para R$ 46 a saca em Uberlândia. Em Mato Grosso, preço no balanço semanal teve estabilidade em R$ 36 a saca em Rondonópolis.


Comentários







Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site. Clique aqui para denunciar um comentário.




ENQUETE
O que você acha da decisão da CPI do Paletó de pedir o afastamento do prefeito?
Ele tem que ser afastado
Ele tem que ser cassado
Ele é inocente
Tanto faz
PARCIAL