Quinta feira, 23 de janeiro de 2020 Edição nº 10101 21/10/2001  










CANTINHO CUIABANOAnterior | Índice | Próxima

Cuiabá de Trancas e Tramelas

Santuário Pantanal

(6a parte)



Não necessito de pregar um Homem Deus no madeiro, exercitando o masoquismo, nem a necrofagia das chamadas Santa Ceias, desrespeitado e sempre crucificado pelos Pilatos, pilados das religiões. Jamais usaria o fator morte para ensinar a vida. Não abomino o Cristo, abomino sim a forma como o pregam, trouxeram e mataram o Cristo da história dos humanos. Porque o Verdadeiro Cristo, também é energia e força soberana, fagulha poderosa da minha entidade, e jamais criaria um Cristo para resolver problemas de uma ínfima partícula da Terra, não necessito de anjos para resolverem problemas dos homens! Sou Força Suprema do Universo, não somente da Terra, possuo outros filhos com mais brilhantismo e capacidade que simples terráqueos, cujo valor maior está na minúscula fagulha à ele por mim concebida, entendendo ele estar nisto a sua semelhança comigo! O Verdadeiro Cristo é luz poderosa e esta em uma das dobras da alma, iluminando a escuridão do interior humano, possibilitando-o a se encontrar comigo, o Verdadeiro Criador a Suprema Força Cósmica! Perda de tempo, continuaria explicando à vocês, meus assessores diretos, situações que já criei e consolidei. Neste momento estou ávido de recriar, reinventar, por isto vamos criar! Enfaticamente determina o Verdadeiro Criador! Espreguiçando-se no seu trono de luz, inicia o Verdadeiro Criador, após esta dialética orientadora aos seus anjos, arcanjos e querubins, bem como a todos os Deuses convocados para aquela sessão de planejamento e criação, as suas primeiras ordens e observações: Há que se criar um local, um espaço físico, uma casa de veraneio digna de hospedar qualquer ente divino, por mais exigente que seja! Também servirá de albergue perene à todas as espécies vivas possuidoras dos maiores esplendores, onde o equilíbrio ecológico seja tão bem controlado que, qualquer desequilíbrio colocaria em risco a própria vida na face da Terra (A Gaia). Criador e Força Verdadeira que sou, quero respaldar minha criação no patamar da genialidades, onde a mitologia Grega e do universo, sejam apenas um panfleto, ante minha criação! Gostaria de aproveitar para dar um cunho humanístico no que irei criar, à luz da filosofia exarada pelo filósofo grego, Empédocles: “do não existente nada pode nascer e nada pode desaparecer no nada absoluto”. Quero reformular a idéia do humano poeta Hesíodo: “no começo era o caos”, era o espaço aberto, a pura extensão ilimitada, o abismo sem fundo. De repente o surgimento da primeira realidade sólida, palpável, a Terra A Gaia, dando ao caos um sentido, limitando-o, instalando nele um chão, o palco da maravilha e da miséria da vida!



(Continua no próximo domingo)



MOISÉS MENDES MARTINS JUNIOR

Membro da Academia Mato-grossense de Letras



Anterior | Índice | Próxima

Comentários Deixe aqui sua opinião sobre esse assunto




17:43 BOA DISSONANTE
17:42 Planejar a compra do material escolar
17:42 Blairo cobra Neri sobre reunião com Emanuel e Campos
17:41 Fuga no Paraguai
17:41 O nazista Alvim virou “nada”


17:41 Internet das coisas
17:40
17:40 Um novo mundo
17:39 Verdadeira riqueza do Irã não é petróleo, mas coragem dos jovens e mulheres, diz escritora iraniana
17:39 Projetos audiovisuais criticados por Bolsonaro ficam de fora de edital
Cuiabá
Min: 18°
Max: 36°

TOPO | PRIMEIRA PÁGINA | ÚLTIMAS NOTÍCIAS | POLÍTICA | ECONOMIA | CIDADES | POLÍCIA | ESPORTES
BRASIL | MUNDO | DC ILUSTRADO | CUIABÁ URGENTE | EDITORIAIS | ARTIGOS | AZUL | TEVÊ | E-MAIL
Diário de Cuiabá © 2018