Segunda feira, 16 de dezembro de 2019 Edição nº 15352 20/11/2019  










Anterior | Índice | Próxima



Sob suspeita

Para surpresa de ninguém, o interminável deputado federal Carlos Bezerra, dono do MDB/MT, integra uma lista de suspeitos de vender seu voto na eleição de Eduardo Cunha (MDB-RJ) para presidente da Câmara Federal, em fevereiro de 2015.



Bolada

CB e outros 16 deputados são alvos de um inquérito que o ministro Edson Fachin, do STF, mandou abrir após pedido da PGR, com base em delação premiada de executivos do grupo JBS. Cunha teria gasto, pelo menos, R$ 30 milhões.



Privilégio

O deputado mato-grossense e outros dois têm foro privilegiado porque se reelegeram. Além desse inquérito, CB é alvo de outros processos, sob a acusação de desviar muitos milhões de reais dos cofres públicos federais.



Desvio

Há 11 anos, por exemplo, um processo que tramita em segredo de Justiça no STF aponta que Bezerra pode ter desviado R$ 100 milhões, por meio de pregões, do INSS. O esquema teria sido feito por meio da Dataprev. Na época, CB presidia o INSS.



Família

Em 2010, a PF indiciou 46 pessoas por envolvimento com desvios de R$ 51 milhões da Fundação Nacional de Saúde (Funasa). A maioria dos acusados é de pessoas de confiança de CB. Entre eles, um sobrinho e vários dirigentes do MDB/MT.



No páreo

No site BoaMidia, o jornalista Eduardo Gomes revela: Emanuel afirmou, na terça, após inaugurar o Hospital Municipal, que está "no páreo", com a recandidatura. O prefeito disse que vai provar sua inocência no tristemente famoso Caso Paletó.



Projeto

Certamente, não será por falta de apoio que EP deixará de entrar na disputa. A deputada Janaína Riva diz que a prioridade do MDB em 2020 é a eleição em Cuiabá. Ela e o encrencado cacique do partido, deputado Carlos Bezerra, falam a mesma língua.



Herança sem morte

"Ficar falando sobre herança sobre uma pessoa que não morreu é complicado". Do ex-ministro da Agricultura, Blairo Maggi (PP), ao ser questionado – pela décima vez -, após a inauguração do HMC, se é candidato a eventual vaga de Selma Arruda no Senado.



Faltou um

Na inauguração do HMC, Emanuel Pinheiro reuniu cinco ex-governadores: Júlio Campos (DEM), Carlos Bezerra (MDB), Jayme Campos (DEM), Blairo Maggi (PP) e Pedro Taques (PSDB). Há quem diga que faltou um na festa: o sinistro Silval Barbosa (MDB).



Contracheque

Sem levar o impacto que a medida causa nos cofres do Alencastro, 15 dos 25 vereadores aprovaram aumento, de R$ 23,6 mil para R$ 27,5 mil, no salário do prefeito Emanuel Pinheiro (MDB). Presidente da Casa dos Horrores, Misael Galvão (PSB) festeja.



....................



Esqueletos da Saúde

Mauro Mendes (DEM) aproveitou para surfar na onda dos investimentos de Emanuel Pinheiro na Saúde Pública, durante a inauguração do HMC, para anunciar a retomada das obras do Hospital Central do Estado, no CPA, e do Hospital Universitário Júlio Müller, na estrada de Leverger. A obra do HCE está parada há 35 anos, desde a gestão de Júlio Campos.



....................



"Novidade"

Para surpresa de ninguém, o ex-governador Júlio Campos, um dos líderes do DEM, afirmou, em entrevista ao site RepórterMT, que seu partido tem três nomes para disputar a Prefeitura de Cuiabá: Fábio Garcia, Mauro Carvalho e Gilberto Figueiredo.



Fake news

Na mesma entrevista, JC "previu" uma surpresa em 2020: a possível eleição de um novato, graças aos recursos das redes sociais. Lembrou que Bolsonaro "se elegeu com o WhatsApp". Se esqueceu de citar as suspeitas de proliferação de fake news.



Bolsonarismo

Na segunda (18), o cacique caiapó Raoni Metuktire foi hostilizado por um pequeno grupo de representantes de entidades ruralistas, na abertura da jornada da Amazônia Centro do Mundo, na Universidade Federal do Pará (UFPA) de Altamira.



Cadê o Queiroz?

O ponto alto do "climão" criado pelos bolsonaristas foi quando Raoni questionou: "Cadê o amigo de Bolsonaro? Cadê o Queiroz?". Ele se referia ao ex-assessor do senador Flávio Bolsonaro (PSL-RJ), acusado de lavar dinheiro.



Pela paz

Os fazendeiros, na verdade, fizeram eco das palavras de Jair Bolsonaro sobre as ONGs serem responsáveis por crimes ambientais na Amazônia. Apesar do incidente, quando retomou a fala, o líder do Xingu voltou a pedir paz, segundo a BBC Brasil.



Obituário

Na coluna sobre falecimentos de personalidades, na terça (19), a Folha de S. Paulo destacou o fotógrafo cuiabano Magno Jorge, que morreu de câncer na laringe no dia 5 deste mês. Magno atuou em vários veículos de Comunicação da Capital.



Perfil

Escrito pelo jornalista cuiabano Diego Maia, o texto apresenta Magno Jorge como "boêmio, violeiro e compositor", que animava os encontros da cooperativa de jornalistas, frequentada por artistas e políticos, como Dante de Oliveira (1952-2006).



Anterior | Índice | Próxima

Comentários Deixe aqui sua opinião sobre esse assunto




17:07 MEC libera que cursos presenciais com conceitos mais baixos expandam carga horária à distância
17:07 STF prevê julgar no ano que vem permissão a candidatura avulsa
17:06 Conflitos e retrocessos marcam presença do Brasil na COP-25
17:05 14 – sábado Desigualdade e evasão escolar
17:05 BOA DISSONANTE


17:04 Doador de amor
17:03 Lei do retorno
17:03 Nossos demônios…
17:02 O Auditor Interno e o combate à corrupção
17:00 Na COP 25, MT defende tolerância zero ao desmatamento
Cuiabá
Min: 18°
Max: 36°

TOPO | PRIMEIRA PÁGINA | ÚLTIMAS NOTÍCIAS | POLÍTICA | ECONOMIA | CIDADES | POLÍCIA | ESPORTES
BRASIL | MUNDO | DC ILUSTRADO | CUIABÁ URGENTE | EDITORIAIS | ARTIGOS | AZUL | TEVÊ | E-MAIL
Diário de Cuiabá © 2018