Sábado, 07 de dezembro de 2019 Edição nº 15350 15/11/2019  










VIOLÊNCIAAnterior | Índice | Próxima

PM não comemora mortes de bandidos, mas sim a volta para casa de policiais vivos

J.R.TRINDADE
ESPECIAL PARA O DIÁRIO

Você sabe ou imagina quantos bandidos a Polícia Militar (PM) teve que matar em confrontos armados este ano em Mato Grosso? Os números são altos, mas em todos os casos, também estão destacadas as palavras de alguns oficiais da PM, responsáveis pela defesa da sociedade, que todos os dias saem de casa e para enfrentar todos os tipos de perigos, colocando em risco suas próprias vidas. Todos afirmam que não tem prazer de matar.

Um deles foi o coronel Marcos Sevinsk, que deixou uma frase que comprova não que existe satisfação em matar, mas de ter policiais de volta para o quartel e para seus lares vivos, mesmo quando tem que agir em confrontos armados com bandidos de alta periculosidade. "A minha satisfação nunca foi matar um bandido, mas sim em saber que um policial volta para casa sã e salvo".

Segundo dados estatísticos oficiais da Polícia Militar de Mato Grosso (PM-MT), os policiais militares mataram em confrontos armados, de janeiro à primeira semana deste mês de novembro, 53 pessoas acusadas como envolvidas em todos os tipos de crimes, principalmente roubos, latrocínios: roubos seguidos de morte, estupros e tráfico de drogas. Em todo o ano passado (2018), a PM matou, também em confrontos armados, 68 bandidos, muitos deles, ou a maioria, procurados pelo Justiça, fugitivos de penitenciárias e durante assaltos com reféns.

Só neste último mês de outubro, segundo levantamentos da própria Polícia Militar, 11 bandidos envolvidos em quase todos os tipos de crime, principalmente roubos, latrocínios: roubos seguidos de morte e tráfico de drogas, foram mortos em confrontos armados com policiais militares em Cuiabá, Várzea Grande (Grande Cuiabá), Baixada Cuiabana e por cidades do interior do Estado.

OS 4 PRIMEIROS - Procurados pela Polícia desde o dia 21 de outubro deste ano, quando fugiram do Presídio de Montes Claros, em Goiás (GO), Deusmar de Souza, Luciano Carneiro de Souza, Fabrício Beraldo Farias e Igor Fernandes saíram da lista de procurados para entrar numa lista funerária.

Os quatro foram mortos na fronteira entre os estados de Mato Grosso e Goiás pela Polícia Militar num confronto armado depois que a quadrilha matou um empresário de 73 anos na cidade General Carneiro (Leste, a 445 quilômetros de Cuiabá), para roubar uma camionete.

MAIS CINCO MORTOS - Cinco criminosos morreram após trocar tiros com policiais da Rondas Ostensivas Táticas (Rotam). A matança aconteceu na MT-351, Estrada do Manso, na Baixada Cuiabana. Segundo a Polícia Militar, os criminosos estavam em um Volkswagen Gol e reagiram à tentativa de abordagem dos policiais. Três desceram do carro apontando armas em direção aos policiais. Enquanto isso, o restante do grupo fugiu do local.

O trio foi localizado pela equipe da Rotam cerca de 100 metros de onde ocorreu a abordagem. A PM Militar apreendeu quatro armas de fogo e um simulacro (imitação), sendo que uma dessas armas é uma pistola PT-100 da PMMT, com registro de furto ocorrido em 2017.

MAIS 5 MORTOS - Os cinco mortos em confronto com a PM foram identificados como Lucas Matheus Campos Arce, de 21 anos, Vanderson da Conceição Ferreira, de 33 anos, Francisco Junior de Carvalho, de 32 anos, Kelvin Dias Nascimento, de 23 anos, e Bryan Christian Rodrigues Pinheiro, de 19 anos.

Todos os cinco mortos enfrentaram à PM à bala na Estrada de Manso, no município de Chapada dos Guimarães (Baixada Cuiabana, a 65 quilômetros da Capital). A quadrilha, segundo investigações, estava se preparando para atacar fazendas e chácaras na região para roubar objetos, dinheiro e principalmente ouro. Segundo suas fichas criminais, eram envolvidos em diversos crimes no Estado.

QUATRO MORTOS EM SINOP - Numa sexta-feira, em 27 de setembro deste ano, a Polícia Militar também matou quatro bandidos em mais um confronto armado na cidade de Sorriso (Norte, a 500 quilômetros de Cuiabá). A quadrilha invadiu a casa de uma defensora pública, quando iam fugir, foram cercados pela PM, iniciando a troca de tiros.

Os bandidos invadiram a casa de um condomínio fechado, renderam a família da defensora e começaram a pegar por objetos de valores. A intenção deles era colocar todos os objetos nos carros da vítima para fugir. Foram flagrados pela equipe de segurança do local, que acionou a PM.

Armados, quando avistaram as viaturas, fugiram da casa pulando o muro e correram por um terreno baldio, atiraram contra os policiais, que revidaram a agressão. Os quatro acusados acabaram baleados pelos policiais. Chegaram a ser socorridos até o Hospital Regional, mas não resistiram aos ferimentos e morreram. A PM apreendeu duas armas de fogo. Os quatro não portavam documentos e não foram identificados.

MAIS 3 MORTOS NO SUL - Três assaltantes foram mortos durante confronto com policiais militares no Distrito de Jarudore, na cidade de Rondonópolis (Sul, a 220 quilômetros de Cuiabá. Os mortos foram identificados como Vitor Hugo de Moura Silva, de 19 anos, Gabriel de Jesus Falcão, de 19 anos, e Jeremias da Silva Freitas, de 18 anos.

Os três, segundo a PM, eram procurados por envolvimento em uma tentativa de latrocínio no bairro Monte Líbano, em Rondonópolis, onde um morador foi baleado na cabeça. Também eram apontados como envolvidos em crimes de tráfico de drogas, homicídio, sequestro, estupro e outros crimes.

Ao perceberem a chegada dos policiais da Força Tática, os acusados tentaram fugir, mas foram encontrados em uma região de mata. Ao serem descobertos, os criminosos atiraram contra os militares que revidaram. Os foram socorridos pela PM até o Hospital Regional de Rondonópolis, mas morreram logo em seguida.

EM VÁRZEA GRANDE – Na vizinha cidade de Várzea Grande, a Polícia Militar matou um dos bandidos acusado de matar o policial civil aposentado Antonio Bueno de Godoi, de 60 anos, em junho deste ano, no bairro da Manga, no Grande Cristo Rei, em Várzea Grande.

O "garoto", acusado de estar entre os bandidos que matou o policial Godoi da Polícia Civil (PC), segundo a PM, sacou de um revólver para enfrentar os policiais militares à bala, mas acabou sendo baleado e morto.

A morte, segundo ainda a PM, aconteceu após o "garoto" roubar um carro no Shopping Fórmula, localizado na Avenida da FEB. Ele resistiu à prisão. Sacou de uma arma de fogo, mas acabou baleado. Foi socorrido até o Pronto-Socorro Municipal de Várzea Grande (PSM-VG), mas não resistiu e foi a óbito.

MORTOS NO ATACADÃO – Um grupo criminoso morto dentro do pátio de entrada do Atacadão, localizado no final da Avenida Fernando Correa da Costa, entrada do bairro Tijucal, em Cuiabá, já vinha sendo monitorado por uma Força-Tarefa montada pela Polícia Judiciária (PJC), pela Gerência de Combate ao Crime Organizado (GCCO), pela Polícia Federal (PF), pela Polícia Militar (PM), pela Polícia Rodoviária Federal (PRF), pela Secretaria Adjunta de Administração Penitenciária (Saap) e pela Secretaria de Operações Integradas do Ministério da Justiça e Segurança Pública (Seop/MJSP).

A quadrilha tentava roubar o dinheiro de um carro-forte, segundo informações do Ciopaer. Dois assaltantes mortos teriam sido baleados dentro de um carro. O tiroteio causou pânico em clientes e funcionários que estavam no local.

Uma equipe do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) foi ao supermercado, para tentar socorrer as vítimas, mas os policiais do GCCO, à frente o delegado Flávio Stringueta, confirmaram que os três assaltantes foram mortos no local.

IDENTIFICADOS - Os mortos, segundo a Polícia, foram identificados como Luciaquino Quirino Serra de Paula, de 37 anos, Fábio Aparecido da Costa, de 26 anos, e Dauan Félix da Silva, que não teve sua idade revelada. Todos os mortos, segundo ainda a Polícia, são acusados pela prática de roubos em joalherias, carros fortes e bancos através de caixas eletrônicos.

PM, GUARDIÃ DA SOCIEDADE – O comandante-geral da Polícia Militar, coronel Jonildo José de Assis, destaca que a corporação é a guardião da sociedade, portanto, tem como missão atuar em defesa da população.

"Os policiais militares fazem isso diariamente com risco da própria vida. Quando ocorrem os confrontos a resposta precisa ser rápida, técnica, legal e proporcional ao grau de agressão sofrida. Nossos policiais são treinados para agir tecnicamente e dentro dos princípios legais", afirma o coronel Jonildo José de Assis.



Anterior | Índice | Próxima

Comentários Deixe aqui sua opinião sobre esse assunto




17:09 Macondo, infelizmente...
17:09 07 – sábado Implantação de Jardim Botânico deve começar
17:08 A maconha foi liberada no Brasil?
17:08 Os pets e o estilingue
17:07 Combate ao custo Brasil


17:05
17:04 Temporada 2019 atrai 6 mil visitantes em exposições marcadas pela diversidade
17:04 Arena Encantada traz fé, magia e diversão para as famílias mato-grossenses
17:03 Em Ela disse, jornalistas contam os bastidores da investigação que derrubou Harvey Weinstein
17:02 Carol Castro: Se deixar, te colocam na prateleira do papel sensual
Cuiabá
Min: 18°
Max: 36°

TOPO | PRIMEIRA PÁGINA | ÚLTIMAS NOTÍCIAS | POLÍTICA | ECONOMIA | CIDADES | POLÍCIA | ESPORTES
BRASIL | MUNDO | DC ILUSTRADO | CUIABÁ URGENTE | EDITORIAIS | ARTIGOS | AZUL | TEVÊ | E-MAIL
Diário de Cuiabá © 2018