Quinta feira, 21 de novembro de 2019 Edição nº 15346 09/11/2019  










PALMEIRASAnterior | Índice | Próxima

Esquecido por Mano, Borja considera deixar o Palmeiras em 2020

Da Folhapress – São Paulo

Contratação mais cara da história do Palmeiras, Miguel Borja definitivamente não vingou. Sem entrar em campo há um mês, o jogador vive uma das maiores fases de esquecimento desde a sua chegada ao Brasil e começa a considerar uma saída do clube.

O colombiano já recebeu propostas recentemente, mas não quis deixar o Palmeiras para atuar em outros mercados como o da China e o do México. Houve, também, sondagens do futebol colombiano, mas nenhuma com poderio financeiro para apresentar uma proposta que agradasse o clube paulista.

Além disso, Borja ainda acreditava que teria uma chance de corresponder aos mais de 13 milhões de dólares (mais de R$ 52 milhões na cotação atual) investidos entre o primeiro pagamento e a cláusula recente que obrigou o Alviverde a comprar os 30% que ainda estavam com o Atlético Nacional.

Agora, após ficar fora até do banco de reservas, Borja pensa em aceitar a próxima boa proposta para voltar a ter mais chances e poder sonhar em ser chamado pela seleção colombiana.

Desde a chegada de Mano, o atacante perdeu espaço e não foi nem relacionado para cinco rodadas (20, 26, 28, 29 e 30). Além disso, ficou entre as opções, mas não entrou em campo em outras quatro vezes (21, 24, 25 e 30). Além disso, ficou entre as opções, mas não entrou em campo em outras quatro vezes (21, 24, 25 e 27). No programa Bola da Vez, da ESPN, o comandante falou do desempenho dele. "O Borja, ao contrário do que pode parecer, não tinha uma trajetória tão grande antes de chegar ao Palmeiras. Ele chega ao Atlético Nacional, um time que já estava jogando muito bem com o Reinaldo Rueda. É contratado para as semifinais da Libertadores, faz gol em todos os jogos e é campeão e tratado como estrela. Os clubes passaram a desejá-lo e isso o tornou uma estrela. Talvez não fosse", afirmou o comandante.

A volta de Luiz Adriano deve fazer com que Borja tenha ainda menos chance. Deyverson se mostrou como a segunda opção do treinador, com Henrique Dourado no terceiro posto. A insatisfação com o setor, aliás, deve fazer Mano Menezes indicar novos nomes para o planejamento de 2020.



Anterior | Índice | Próxima

Comentários Deixe aqui sua opinião sobre esse assunto




18:01 Estudo sobre passageiros está 15 anos defasado
18:01 BOA DISSONANTE
18:00 Brexit: O jogo deve terminar
17:59 O atestado do desastre
17:59 Infames de uma tardia república


17:59 Expectativa coletiva
17:58
17:58 Bolsonaro e o meio ambiente
17:57 Gilberto Gil recorda e reinventa Refavela em documentário
17:56 A gente teve melhorias, diz Taís Araújo 10 anos após ser 1ª negra protagonista
Cuiabá
Min: 18°
Max: 36°

TOPO | PRIMEIRA PÁGINA | ÚLTIMAS NOTÍCIAS | POLÍTICA | ECONOMIA | CIDADES | POLÍCIA | ESPORTES
BRASIL | MUNDO | DC ILUSTRADO | CUIABÁ URGENTE | EDITORIAIS | ARTIGOS | AZUL | TEVÊ | E-MAIL
Diário de Cuiabá © 2018