Sexta feira, 15 de novembro de 2019 Edição nº 15328 16/10/2019  










Anterior | Índice | Próxima



Insistência

A cúpula do PSL em Mato Grosso vai bater na tecla de que Nelson Barbudo é “a melhor opção” do partido para disputar a Prefeitura de Cuiabá, em 2020. Entenda-se por cúpula o próprio deputado, que é o cacique da legenda no Estado.

Riscos

Para analistas políticos, os (ainda) bolsonaristas podem dar um tiro no pé, caso lancem Barbudo ao Alencastro. O deputado não tem nenhuma afinidade com a Capital (sua base é o Sul). E o eleitor não aceitaria um candidato goela abaixo.

Café amargo

A leitura de O Globo, ontem cedo, certamente, estragou o café de Nelson Barbudo. Segundo o jornal, o deputado, seis colegas da Câmara e um senador do PSL estão na “lista negra” de Jair Bolsonaro. O presidente os tem como “traidores”.

Racha

A lista é resultado do racha que pode levar Bolsonaro a sair do PSL. Seriam estes os “traidores”: Nelson Barbudo, Delegado Waldir, Júnior Bozzella, Joice Hasselmann, Julian Lemos, Nereu Crispim, Felipe Francischini e Major Olímpio.

No Twitter

Na sua extrema devoção a Bolsonaro, o deputado federal José Medeiros (Podemos) volta suas baterias contra o Papa Francisco. No Twitter – no qual ele passa mais tempo do que no Plenário da Câmara -, JM fez troça com Sua Santidade.

Amém

Em resposta a uma enquete do Estadão - “Quem deve ser o próximo santo brasileiro?” -, Medeiros escreveu: “Com esse papa, Lula, sem dúvida”. Bolsonaro já elegeu Francisco como inimigo. O deputado de Mato Grosso diz “amém”.

Via 2020

Como a coluna antecipou, o ex-deputado federal Adilton Sachetti (Republicanos) sinalizou para a disputa pela Prefeitura de Rondonópolis, no ano que vem. A candidatura ao Senado em uma eventual eleição suplementar estaria descartada.

Dízimo

O Republicanos é a nova denominação do PRB, legenda ligada à Igreja Universal do Reino de Deus, do bolsonarista “bispo” Edir Macedo. O grupo, por sinal, abriu suas portas para o presidente Bolsonaro, em meio ao racha no PSL.

Calendário

Janeiro de 2020. Essa é data que, em princípio, a cúpula do DEM em Cuiabá considera apropriada para a legenda discutir, definitivamente, o projeto de candidatura à sucessão do prefeito Emanuel Pinheiro (MDB).

Jogo de cena

Como disse Júlio Campos, um dos líderes democratas, nomes não faltam para encabeçar a chapa majoritária. O problema é que, até o momento, ninguém encarou com firmeza a empreitada. Para analistas, sobra mesmo é balão de ensaio.

................

Supremo fetiche sexual

No programa “Conversa com Bial”, da TV Globo, na segunda à noite, Gilmar Mendes disse que determinados ministros do STF têm “fetiche sexual” por investigadores. “(...) Devemos ter cuidado nessas relações com policiais e procuradores. Pode ter fetiches sexuais, mas sem se envolver com suas teses”, afirmou o mato-grossense.

...............

Céu & Inferno

A derrota para o Sport por 2 a 0, na segunda, complicou a vida do Cuiabá E.C. O clube mato-grossense, que já frequentou o G4 da Série B e sonhou com a Série A, começa a ver o fantasma da degola: está a seis pontos do Z4.

Mudança de rota

Presidente da Casa dos Horrores, vulgo Câmara de Cuiabá, Misael Galvão (PSB) sinaliza que seu projeto político-eleitoral é tentar a reeleição em 2020. O “rei dos camelôs”, no entanto, continua firme no apoio ao prefeito Emanuel Pinheiro.

Protegido

O site RDNews informa que Marcelo Bussiki foi eleito, digamos, o “protegido” do DEM na eleição de 2020. Prestes a sair do PSB, o vereador teria o apoio unânime da cúpula democrata para tentar a reeleição ao Legislativo cuiabano.

Costa quente

Bussiki é um dos cerca de 30 nomes que o DEM tem para disputar a Câmara de Cuiabá. Não é de duvidar que a proteção ao vereador provoque uma ciumeira nos demais postulantes. Ele é considerado afilhado do governador Mauro Mendes.

Fim do túnel

No programa “Resumo do Dia”, de Roberto França, na TBO, Mauro Mendes festejou a recuperação gradativa da economia estadual. E até sinalizou que, em dezembro, os servidores públicos podem receber o salário integralmente.

Diversidade

Com o tema “Somos muitos, podemos estar em qualquer profissão”, foi lançado, na segunda, mais uma edição da Parada da Diversidade Sexual de Cuiabá. Neste ano, o tema é empregabilidade, abordando o preconceito no local de trabalho e outros.

Desfile

A Parada da Diversidade Sexual de Cuiabá será realizada no dia 16 de novembro, a partir de 14h, na Praça Ipiranga, no Centro. A expectativa dos organizadores, para este ano, é de que 25 mil pessoas participem do evento.



Anterior | Índice | Próxima

Comentários Deixe aqui sua opinião sobre esse assunto




17:29 A Bolívia e seus dilemas - parte II
17:29 BOA DISSONANTE
17:28 Estado adia para 2020 decisão sobre VLT
17:27 Diferença entre direita e bolsonarismo
17:26 A saída da extrema pobreza


17:26 Reflexões da vida
17:25 Toffoli intima BC e obtém dados sigilosos de 600 mil pessoas
17:25
17:24 Brics ignoram crise na Venezuela e Bolívia
17:24 Zona de livre comércio com China pode prejudicar indústria
Cuiabá
Min: 18°
Max: 36°

TOPO | PRIMEIRA PÁGINA | ÚLTIMAS NOTÍCIAS | POLÍTICA | ECONOMIA | CIDADES | POLÍCIA | ESPORTES
BRASIL | MUNDO | DC ILUSTRADO | CUIABÁ URGENTE | EDITORIAIS | ARTIGOS | AZUL | TEVÊ | E-MAIL
Diário de Cuiabá © 2018