Quinta feira, 17 de outubro de 2019 Edição nº 15324 10/10/2019  










CAÇADA HUMANAAnterior | Índice | Próxima

Força Tarefa "caça" marido de enfermeira encontrada morta sem a cabeça e um dos braços

TÉO GOMES
Da Reportagem

O comerciante do ramo de espetinhos Ronaldo da Rosa, de 32 anos está sendo procurado através de uma Força Tarefa montada pelas Polícias Civil (PC) e Militar (PM), além do Corpo de Bombeiros. Ele é marido da enfermeira Zuilda Correia Rodrigues, de 43 anos, encontrada morta na manhã desta terça-feira, 8. Ronaldo passou a ser o principal acusado de mandar matar e também ajudar a matar a mulher e foi denunciado pelo próprio comparsa do crime, o soldado da PM Marcos Vinícius Pereira Ricardi, de 26 anos, preso um dia antes do corpo ser localizado.

O corpo de Zuilda foi encontrado sem a cabeça e sem um dos braços dentro de um bueiro cuja canalização demanda para uma região de mata, onde o corpo foi "desovado" na noite de 27 de setembro, dia em que a enfermeira desapareceu quando saia de casa para encontrar o marido no trabalho, um comércio de espetinhos, onde o soldado Marcos Vinícius ajudava a vender espetos.

Técnicos e peritos da Perícia Oficial e de Identificação Técnica (Politec) não descartam que o corpo de Zuildo foi arrastado para dentro do córrego pelas águas das chuvas que caíram neste final de semana na cidade de Sinop (Norte, a 500 quilômetros da Capital), onde o crime foi registrado.

Preso, segundo o delegado Carlos Eduardo Muniz, responsável pelas investigações, o soldado Marcos Vinícius não apenas "dedurou" o comparsa Ronaldo Rosa, como confessou sua participação e ainda contou que a ideia era apenas dar um susto na mulher com a simulação de um assalto.

Os peritos acreditam que devido o adiantado estado de decomposição do corpo de Zuildo, partes do corpo se desprenderam como a cabeça e um dos braços, encontrados separados do corpo, que ainda se encontra no Instituto Médico Legal (IML) e será liberado para sepultamento.

As acusações sobre Ronaldo Rosa foram confirmadas pela Polícia Civil como um dos autores do crime do assassinato. Foragido, ele está sendo "caçado", mas ainda não foi localizado até o final da manhã desta quarta-feira, 9.

Além de correr atrás da prisão de Ronaldo, a Polícia Civil também está tentando encaixar um "quebra-cabeça" para descobrir os motivos de mais um crime brutal contra uma mulher, que sem nenhum poder de reação foi assassinada.

A Polícia também aguarda os laudos do IML para oficializar as causas da morte de Zuilda Rodrigues, que também ajudava o marido a vender espetinhos. A Polícia não descarta que a mulher tenha sido vítima de enforcamento ou esganadura.



Anterior | Índice | Próxima

Comentários Deixe aqui sua opinião sobre esse assunto




19:07 Júlio Campos muda domicilio eleitoral
19:05 Nem cálice e nem cale-se
19:05 Best-seller
19:05 Projeto de Lei dos 30 dias
19:04 Educação contra a desigualdade


19:04 Mistérios da República
19:02 Afastada da TV, Bianca Rinaldi diz que idade lhe trouxe maturidade e prepara canal no YouTube
19:02
19:01 Sequência de Malévola propõe nova vilã
19:01 Renée Zellweger já desponta como favorita ao Oscar
Cuiabá
Min: 18°
Max: 36°

TOPO | PRIMEIRA PÁGINA | ÚLTIMAS NOTÍCIAS | POLÍTICA | ECONOMIA | CIDADES | POLÍCIA | ESPORTES
BRASIL | MUNDO | DC ILUSTRADO | CUIABÁ URGENTE | EDITORIAIS | ARTIGOS | AZUL | TEVÊ | E-MAIL
Diário de Cuiabá © 2018