Sexta feira, 15 de novembro de 2019 Edição nº 15305 13/09/2019  










BOVINOSAnterior | Índice | Próxima

Peso de carcaças supera expansão de abates em MT

MARIANNA PERES
Da Reportagem

Mais do que liderar o abate de bovinos no Brasil - e se manter como dono do maior rebanho do País - a bovinocultura mato-grossense registra importantes avanços no balanço do segundo trimestre desse ano em relação o mesmo momento do ano passado. Dados divulgados pelo IBGE, ontem, mostram que a movimentação dos animais no Estado cresceu 22% na comparação anual, no entanto, o peso das carcaças, foi mais além, aumentou 23,4%. Ambos os indicadores são os maiores registrados no País no período.

Entre os meses de abril, maio e junho desse ano, o número de cabeças abatidas em Mato Grosso somou 1,42 milhão contra 1,16 milhão em igual acumulado do ano passado, o que representa um crescimento anual de 22%. No País, o incremento foi de 3,5%.

Nessa comparação entre os segundos trimestres de 2019 ante o de 2018, o Estado abateu 257 mil cabeças a mais. No ranking nacional, Mato Grosso continua liderando o abate de bovinos, com 17,8% do total nacional, seguido por Mato Grosso do Sul (11,4%) e São Paulo (10,1%).

Em relação ao peso das carcaças, houve uma média de 374 mil toneladas em 2019, ante 303 mil toneladas em igual período do ano passado, o que demononstra expansão de 23,4%, acima do crescimento observado no volume de abates. Há um claro indicador, conforme os especialistas do mercado de que os bovinos mato-grossenses estão chegando ao ponto de abate cada vez mais cedo e mais pesados.

Esse ganho potencial já vem sendo registrado pelas entidades que representam o segmento pecuário no Estado. De acordo com o Instituto Mato-Grossense da Carne (Imac) esse diferencial estadual reflete o empenho e os investimentos em tecnologia que vêm sendo feitos há alguns anos.

A produtividade mato-grossense de carne é 5% superior à média nacional, conforme dados já confirmados pelo próprio IBGE. O peso-médio da carcaça em Mato Grosso foi de 258,63 kg por animal e o peso-médio do país foi de 246,11 kg por animal no primeiro trimestre deste ano. Nos últimos cinco anos, comparando o peso-médio da carcaça no primeiro trimestre de 2014 com o registro de igual período em 2019, os animais abatidos no Estado registraram um ganho de 7%.

A evolução e o bom desempenho da pecuária de corte mato-grossense também podem ser comprovados com o crescimento no volume de animais abatidos e do rebanho. Ou seja, Mato Grosso está abatendo mais animais e aumentando sua produção. "Além do crescimento em número de abates e pesos de carcaças, também conseguimos reduzir a idade média dos animais abatidos, o que tem relação direta com a qualidade da carne produzida e aumento de produtividade", analisa o presidente do Imac, Guilherme Linares Nolasco.

BALANÇO IBGE - No 2º trimestre de 2019, foram abatidas 8,04 milhões de cabeças de bovinos em todo o País sob algum tipo de serviço de inspeção sanitária. Essa quantidade foi 3,5% superior à obtida no 2° trimestre de 2018, período em que foi deflagrada a paralisação dos caminhoneiros e 1,4% acima da registrada no trimestre imediatamente anterior.

O abate de 268,55 mil cabeças de bovinos a mais no 2º trimestre de 2019, em relação ao mesmo período de 2018, foi impulsionado por altas em 17 das 27 Unidades da Federação (UFs). Entre aquelas com participação acima de 1,0%, as variações positivas foram: Mato Grosso (+257,03 mil cabeças), Mato Grosso do Sul (+99,22 mil cabeças), São Paulo (+45,03 mil cabeças), Rondônia (+28,18 mil cabeças), Santa Catarina (+12,63 mil cabeças) e Bahia (+6,43 mil cabeças). Já as reduções mais intensas foram em Goiás (-73,78 mil cabeças), Rio Grande do Sul (-64,30 mil cabeças), Pará (-63,68 mil cabeças) e Maranhão (-13,97 mil cabeças).



Anterior | Índice | Próxima

Comentários Deixe aqui sua opinião sobre esse assunto




17:29 A Bolívia e seus dilemas - parte II
17:29 BOA DISSONANTE
17:28 Estado adia para 2020 decisão sobre VLT
17:27 Diferença entre direita e bolsonarismo
17:26 A saída da extrema pobreza


17:26 Reflexões da vida
17:25 Toffoli intima BC e obtém dados sigilosos de 600 mil pessoas
17:25
17:24 Brics ignoram crise na Venezuela e Bolívia
17:24 Zona de livre comércio com China pode prejudicar indústria
Cuiabá
Min: 18°
Max: 36°

TOPO | PRIMEIRA PÁGINA | ÚLTIMAS NOTÍCIAS | POLÍTICA | ECONOMIA | CIDADES | POLÍCIA | ESPORTES
BRASIL | MUNDO | DC ILUSTRADO | CUIABÁ URGENTE | EDITORIAIS | ARTIGOS | AZUL | TEVÊ | E-MAIL
Diário de Cuiabá © 2018