Sexta feira, 20 de setembro de 2019 Edição nº 15303 11/09/2019  










CARNE BOVINAAnterior | Índice | Próxima

Habilitação à China amplia geração de renda em MT

Da Reportagem

A China anunciou a habilitação de mais 25 indústrias de carnes brasileiras para exportação ao país. Das plantas habilitadas, 17 são de carne bovina, das quais seis delas estão instaladas em Mato Grosso. Para o Instituto Mato-Grossense da Carne (Imac) a autorização permitirá que o Estado amplie o comércio de carne bovina com o maior país mundo, o que deverá ter impacto direto na geração de renda no campo e emprego nos municípios.

Com o anúncio, Mato Grosso passa de uma para sete unidades frigoríficas exportadoras de carne bovina para a China. Foi anunciada a habilitação dos Serviços de Inspeção Federal (SIFs) número 411 - Redentor de Guarantã do Norte, 1751 – Marfrig de Tangará da Serra, 1811 – Naturafrig de Barra do Bugre, 2015 – Marfrig de Várzea Grande, 3941 – Agra de Rondonópolis e 4490 – Vale Grande de Matupá. Até então, somente a unidade do grupo JBS de Barra do Garças era autorizada para exportar à China.

Este ano, Mato Grosso já exportou o equivalente a US$ 97,10 milhões em carne bovina para a China, o equivalente a 13% do total exportado pelo Estado nos primeiros oito meses deste ano em valores. Em volume, a participação chinesa este ano foi de 10%, com 19,53 mil toneladas de carne bovina (congelada) de um total de 193 mil toneladas de carne bovina exportada (congelada e resfriada).

O presidente do Imac, Guilherme Linares Nolasco, lembra que este processo teve início no ano passado, com visitas de técnicos chineses às plantas frigoríficas no Estado e de representantes do governo brasileiro à China. “O Imac está atuando desde o ano passado juntamente com as indústrias, os produtores e os governos federal e estadual para a concretização deste processo”, destacou.

"O Mapa vem desde o ano passado negociando com o governo chinês as adequações necessárias para a habilitação de mais unidades frigoríficas brasileiras. Este ano, durante a feiral de SIAL, mais uma rodada de conversas foi realizada para que todas as exigências fossem atendidas. Um trabalho realizado por muitos agentes públicos e privados que deverá intensificar o comércio da nossa carne", completou.

Entre 2018 e 2019, o Imac realizou duas missões à China juntamente com o Mapa e a Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex) e também firmou, em setembro do ano passado, um protocolo de intenções com o NBCIC (National Beef Cattle Improvement Center), o Centro Nacional de Desenvolvimento da Carne na China. O documento visou à conjugação de esforços para o desenvolvimento de estudos e pesquisas para o aprimoramento da produção de bovinos chineses e habilitação de plantas frigoríficas para o aumento das exportações de carne bovina de Mato Grosso.

"É objetivo do Imac promover a carne de Mato Grosso no mercado interno e externo, dando apoio às indústrias e aos produtores e como suporte ao governo do Estado em ações estratégicas de mercado e de desenvolvimento tecnológico da cadeia da carne", afirma Guilherme Nolasco, presidente do Imac.



Anterior | Índice | Próxima

Comentários Deixe aqui sua opinião sobre esse assunto




18:14 Embarques de milho somam US$ 1,34 bi em agosto, alta de 169,2%
18:13 Confinamento impulsiona abates em MT
18:02 Selma muda para o Podemos
18:02 BOA DISSONANTE
18:01 Ajuste no lugar errado


18:01 Medidas cautelares e prerrogativa de foro
18:00 Força feminina
17:59 Pivetta assume governo pela primeira vez
17:59 Revisão aponta superávit de R$ 121 milhões
17:59 Vereador entrega cargos que possuía na Prefeitura
Cuiabá
Min: 18°
Max: 36°

TOPO | PRIMEIRA PÁGINA | ÚLTIMAS NOTÍCIAS | POLÍTICA | ECONOMIA | CIDADES | POLÍCIA | ESPORTES
BRASIL | MUNDO | DC ILUSTRADO | CUIABÁ URGENTE | EDITORIAIS | ARTIGOS | AZUL | TEVÊ | E-MAIL
Diário de Cuiabá © 2018