Domingo, 13 de outubro de 2019 Edição nº 15291 24/08/2019  










MISSÃO DE COMPRADORESAnterior | Índice | Próxima

Qualidade e resistência de fibra mato-grossense despertam interesse

Da Reportagem

Qualidade, resistência, uniformidade e sustentabilidade. Estes foram alguns pontos levantados por representantes de indústrias têxteis de oito países sobre o algodão mato-grossense durante a passagem da Missão Compradores 2019 por Mato Grosso, promovida pela Associação Brasileira dos Produtores de Algodão (Abrapa). A missão foi composta por representantes da China, Paquistão, Vietnã, Coreia do Sul, Turquia, Índia, Peru e Bangladesh. Em Mato Grosso a ação contou com a parceria da Associação Mato-grossense dos Produtores de Algodão (Ampa).

A missão é realizada pela Abrapa desde 2015 e tem como intuito trazer indústrias têxteis de diversas partes do mundo ao Brasil. Segundo a entidade, desde a primeira edição mais de 80 fiações de todo o mundo já esteve no Brasil para conhecer o sistema de produção do algodão brasileiro, visitar propriedades rurais, conhecer a colheita mecanizada, as usinas de beneficiamento de algodão, os programas de qualidade e sustentabilidade do algodão brasileiro, os laboratórios de análise de HVI, bem como fazer negócios.

O Brasil na safra 2018/19 figura como 4° maior produtor de algodão e 2º maior exportador mundial. Além disso, o país é o maior fornecedor de algodão sustentável.

Em Mato Grosso os industriais têxteis visitaram fazendas, laboratórios de análise, algodoeira, fiação e o Centro de Treinamento do Instituto Mato-grossense do Algodão (IMAmt). As visitas ocorreram nos municípios de Sapezal, Campo Verde e Primavera do Leste.

Segundo o presidente da Ampa, Alexandre Pedro Schenkel, missões comerciais sempre são válidas para troca de informações e experiências independente se elas ocorrem no Brasil ou em algum outro país. "O Brasil, em especial Mato Grosso, tem a capacidade de fazer duas safras em uma mesma área e de forma sustentável, sem a necessidade de abrir um centímetro de área. Em Mato Grosso temos três pontos que nos tornam eficientes na produção: solo, clima e pessoas".

Schenkel destacou que 80% dos produtores de Mato Grosso plantam algodão há mais de 10 anos e que o emprego de tecnologia no campo também auxilia na produção.

O presidente da Abrapa, Milton Garbugio, pontua que crises no mundo vêm e vão. "É importante ações como essa, pois crises vêm e vão e isso mostra o quanto somos eficientes".

Sun Wei, da comitiva de chineses, esteve pela primeira vez no Brasil. Ele contou que a empresa para a qual trabalha todos os anos envia um representante às missões da Abrapa. "Queria conhecer mais sobre o algodão brasileiro. É importante participar. Consideramos o algodão brasileiro um dos melhores do mundo. Cada vez mais nossos clientes procuram o algodão brasileiro devido à guerra comercial com os Estados Unidos. Essa ligação Brasil e China é importante manter".

Único integrante da América Latina, José Omar Perez, possui no Peru uma indústria têxtil integrada que trabalha desde a fiação até a confecção. "Fiquei impressionado com a evolução da produção do algodão de Mato Grosso de modo sustentável e o respeito ao meio ambiente. E, o tamanho da produtividade e qualidade também. Isso torna o país cada vez mais competitivo".

Já cliente do algodão brasileiro, Phan Duc Le Hoang, possui no Vietnã uma tecelagem. "Já compramos algodão brasileiro e já estávamos impressionados com o produtor, porém, queríamos saber mais detalhes sobre ele. Fiquei impressionado com as algodoeiras e o algodão o quanto é limpo comparado com os outros".

Lalit Mahajan, da Índia, comenta que seu país está voltando a comprar o algodão brasileiro. De acordo com ele, a Índia teve em 2004 "uma experiência não muito boa com o algodão do Brasil, mas que viu hoje a evolução e o quanto há de qualidade, produtividade e tecnologia. A missão foi produtiva para ver isso de perto".



Anterior | Índice | Próxima

Comentários Deixe aqui sua opinião sobre esse assunto




16:35 Indústria alimentícia corre atrás do público que prefere comida orgânica
16:27 Riva diz ter pago R$ 175 mi para parlamentares
16:26 Habemus Autoridade Nacional de Proteção de Dados
16:25 O amor constrói
16:24 Solução estrutural


16:24 Lei de abuso de autoridade é ato de abuso de poder parlamentar
16:23 Chico Buarque lança primeiro romance após o Prêmio Camões
16:23
16:22 Terror nacional, Morto não fala mostra Daniel de Oliveira ouvindo lamento de cadáveres
16:21 A vida invisível disputa Oscar com 92 filmes
Cuiabá
Min: 18°
Max: 36°

TOPO | PRIMEIRA PÁGINA | ÚLTIMAS NOTÍCIAS | POLÍTICA | ECONOMIA | CIDADES | POLÍCIA | ESPORTES
BRASIL | MUNDO | DC ILUSTRADO | CUIABÁ URGENTE | EDITORIAIS | ARTIGOS | AZUL | TEVÊ | E-MAIL
Diário de Cuiabá © 2018