Quarta feira, 23 de outubro de 2019 Edição nº 15242 15/06/2019  










Anterior | Índice | Próxima



Crime compensa?

Envolto num manto de suspeitas – ele é réu numa ação penal, sob a acusação de lavagem de dinheiro -, o ex-deputado Guilherme Maluf caminha para ser eleito, em novembro, presidente do Tribunal de Contas do Estado.

Trevo da sorte

Maluf foi premiado pelos seus ex-colegas de Assembleia, em fevereiro deste ano, ao ter seu nome avalizado para assumir uma vaga no TCE-MT. Teve o apoio do governador Mauro Mendes (DEM), que o nomeou em seguida para a função.

Brecha

A nova manobra dos nobres deputados é aprovar uma PEC (Proposta de Emenda Constitucional) que permite que cinco conselheiros afastados, sob a acusação de prática de corrupção, votem na próxima eleição do TCE.

Os eleitores

Antônio Joaquim, José Carlos Novelli, Sérgio Ricardo, Waldir Teis e Valter Albano foram delatados por Silval. O ex-governador os acusa de pedir R$ 53 milhões de propina para aprovar contas e obras do então chefe do Executivo.

Dupla poderosa

Por trás das manobras visando a mudar a Constituição Estadual, segundo as informações, estão dois deputados com função de relevo na Mesa Diretora da AL. Pergunta que não quer calar: com que interesse, afinal?

Mordomia

Mesmo afastados por decisão do STF, os cinco conselheiros recebem salários de R$ 30,4 mil, férias, 13º, além de gratificação de R$ 3,2 mil. São quase R$ 3 milhões/ano que o TCE gasta com quem não trabalha.

Sem-teto

Chutado da Casa Civil da Presidência – embora ele jure que foi exonerado “a pedido” -, o ex-deputado Victório Galli procura desesperadamente um abrigo. Ele deve deixar o PSL, partido que abriga os bolsonaristas.

Obsessão

Na verdade, Galli busca uma legenda que dê sustentação ao seu megalomaníaco projeto de disputar a Prefeitura de Cuiabá. A obsessão é tamanha que o ex-parlamentar aceitaria, até mesmo, ser candidato a vice-prefeito.

Fim da farra

Uma denúncia do jornal A Gazeta, sobre a farra na distribuição de títulos de cidadania, levou a AL a moralizar a medida. Só o deputado Sílvio Fávero, neste ano, já homenageou Bolsonaro, Hamilton Mourão e Luciano Hang, dono da Havan.

GM no alvo

Ontem, no Plenário do Senado, Jorge Kajuru (PSB-GO) cobrou da Mesa a análise dos pedidos de impeachment do ministro Gilmar Mendes, do STF, que tramitam na Casa. “Que é que existe nesse Senado Federal de medo desse Gilmar Mendes?”, questionou.

................

JB e o ministro evangélico

O presidente Jair Bolsonaro evita discutir economia, alegando que não entende do riscado. Já quando o assunto é o segmento LGBT, ele bate duro. No café com jornalistas, ontem, JB citou a decisão do STF, que criminalizou a homofobia, para justificar, novamente, a nomeação de um ministro evangélico. Segundo o relato de Delis Ortiz, na TV Globo, o presidente disse que o ministro-pastor pediria vista e “sentaria em cima” do processo para impedir a decisão, que considerou “equivocada”.

................

Deu na “Veja”

Conhecida como “Moro de Saias”, a senadora Selma Arruda (PSL) – que teve o mandato cassado por Caixa 2, decisão da qual recorre – defendeu de um modo bastante particular o ministro Sérgio Moro das acusações de parcialidade na Lava-Jato.

Parábola do sofá

“Essa questão, para mim, é você pegar sua mulher te traindo no sofá e botar a culpa no sofá. Nessa tentativa de desmoralizar [a Lava-Jato], você esquece que o verdadeiro criminoso é quem hackeou [o ministro]”, disse a senadora.

Fazia o mesmo

Segundo Selma, quando era juíza, também costumava debater operações antecipadamente com promotores do MP. “Nos diálogos, ainda que verdadeiros, não tem nada demais, o que tem é uma tentativa de desmoralizar o pessoal da Lava-Jato”, afirmou.

Fechado

Líder do PTB na Câmara, Pedro Fernandes (MA) assegura que o partido fecha questão a favor da reforma da Previdência. O PTB tem 12 deputados federais. Um deles é Emanuel Neto, filho do prefeito de Cuiabá, Emanuel Pinheiro (MDB).

Fixação

Nos últimos dias, o deputado federal José Medeiros (Podemos) utiliza o Facebook e o Twitter para agradar o presidente Bolsonaro e defender o ministro Moro. Não há uma linha ou live que fale de projetos para Mato Grosso.

O nosso...

Secretário de Esporte, Allan Kardec confirmou a realização, em Cuiabá, de 21 a 23 deste mês, da Liga das Nações de Vôlei. Confirmou também o gasto de R$ 500 mil para trazer as seleções do Brasil, Alemanha, Rússia e Bulgária.

...e o deles

Kardec explicou, ainda, que os R$ 500 mil são do Fundo Estadual de Desporto. Ele até aproveitou para dar uma alfineta no antecessor na pasta: disse que o Governo Taques gastou R$ 2 milhões, com o mesmo evento, em 2018.





Anterior | Índice | Próxima

Comentários Deixe aqui sua opinião sobre esse assunto




19:59 BOA DISSONANTE
19:58 VLT, novela sem fim
19:57 Filhos e pais
19:57 Porque eu leio...
19:57 Demissão automática do servidor


19:56 Abuso de Autoridade
19:56 Mistérios da República
19:55
19:54 Downton Abbey leva ao cinema o despertar do século XX
19:54 Série de Bruno Barreto estreia na sexta
Cuiabá
Min: 18°
Max: 36°

TOPO | PRIMEIRA PÁGINA | ÚLTIMAS NOTÍCIAS | POLÍTICA | ECONOMIA | CIDADES | POLÍCIA | ESPORTES
BRASIL | MUNDO | DC ILUSTRADO | CUIABÁ URGENTE | EDITORIAIS | ARTIGOS | AZUL | TEVÊ | E-MAIL
Diário de Cuiabá © 2018