Quarta feira, 17 de julho de 2019 Edição nº 15219 15/05/2019  










MÚSICAAnterior | Índice | Próxima

Ave Sangria lança disco 45 anos depois de censura

LUCAS BRÊDA
Da Folhapress – São Paulo

Foram necessários 45 anos para que o Ave Sangria voltasse a lançar um disco. "Não tínhamos viabilização econômica, mas em 2017 surgiu um cara disposto a financiar isso", conta o vocalista e compositor Marco Polo Guimarães.

Após ter uma faixa censurada na ditadura, a banda pernambucana ficou décadas no esquecimento até uma reunião para shows que culminou no álbum "Vendavais", que acaba de ser lançado.

"Começamos a voltar, na verdade, em 2008, com convites para que eu e o Almir tocássemos músicas da banda", conta o vocalista, falando do ex-baixista e atual guitarrista do grupo, Almir Oliveira. De 1974 até o fim da década passada, os dois principais compositores do grupo ficaram afastados da música, um trabalhando com jornalismo e o outro como engenheiro civil.

Com exceção deles e de Paulo Rafael, até hoje guitarrista de Alceu Valença, os outros três integrantes do grupo morreram.

O novo disco é um resgate da primeira encarnação do Ave Sangria. Todas as músicas, com exceção da instrumental "Em Órbita", foram escritas entre 1969 e 1974. "A gente tinha na memória", diz Marco Polo. Faixas como "Sundae" chegaram a ser tocadas em shows na época, mas nunca haviam ganhado um registro de estúdio até "Vendavais".

O Ave Sangria teve sua carreira abreviada graças a uma música em que Marco Polo cantava sobre ter o coração partido por um senhor chamado Waldir. Originalmente composta para ser cantada por Marília Pêra, a faixa escalava posições entre as mais tocadas nas rádios nordestinas até ser proibida.

"Seu Waldir", um samba com guitarra psicodélica, até havia sido liberada pelos censores previamente, mas, foi por causa dela que os álbuns do Ave Sangria foram recolhidos das lojas. Os discos ainda voltaram a ser vendidos sem a canção –o que incomodou os militares foi a letra interpretada a partir de um ponto de vista homossexual.

Depois de muitos anos na condição de raridade, o disco caiu na internet e chegou a um novo público, grande o suficiente para levar o grupo a fazer shows, tocar em festivais (como o Psicodália e a Virada Cultural) e, enfim, lançar um novo álbum de inéditas. É como se os integrantes tivessem envelhecido, mas o público, não.

"A maioria do nosso público é jovem, nem tinha nascido na época", diz Marco Polo. "Coincidentemente, começamos na ditadura e agora voltamos em uma era retrógrada e fundamentalista. Acho que estamos fazendo um trabalho necessário em um momento desnecessário. Não merecemos regredir ao século 17. Vamos responder com música."



Vendavais

Artista: Ave Sangria. Gravadora: Sunset Produções. Onde: Nas plataformas digitais



Anterior | Índice | Próxima

Comentários Deixe aqui sua opinião sobre esse assunto




18:49 MPE diz que relatos dos PMs serão apurados
18:48 Zaqueu diz que primos Taques eram os mandantes
18:08 PF desarticula esquema criminoso de assaltos a agências bancárias
18:08 Homem é condenado a 15 anos por feminicídio tentado
18:07 Preso suspeito da morte de homens decapitados


18:07 Polícia estoura boca de fumo e prende seis pessoas
18:06 MT registra mais de 650 estupros de vulneráveis em 6 meses
18:05 Sete de MT votam a favor da reforma
18:05 BOA DISSONANTE
18:04 Missão Apolo
Cuiabá
Min: 18°
Max: 36°

TOPO | PRIMEIRA PÁGINA | ÚLTIMAS NOTÍCIAS | POLÍTICA | ECONOMIA | CIDADES | POLÍCIA | ESPORTES
BRASIL | MUNDO | DC ILUSTRADO | CUIABÁ URGENTE | EDITORIAIS | ARTIGOS | AZUL | TEVÊ | E-MAIL
Diário de Cuiabá © 2018